Pesquisar neste blogue

domingo, 1 de março de 2009

Grande Prémio de Atletismo da Charneca da Caparica




Organizado pelos Amigos do Atletismo da Charneca de Caparica, com o apoio da Junta de Freguesia da Charneca da Caparica, Câmara Municipal de Almada, Bombeiros Voluntários de Cacilhas e comércio local, conforme informava uma placa de cartão que oscilava com o vento pendurada por um arame e uma fita de plástico vermelha e branca num “abrigo” improvisado onde se veio a proceder à entrega de prémios, entre cascalho do chão e pratos de plástico em também improvisadas prateleiras, que mais tarde serviriam febras, realizou-se hoje o Grande Prémio de Atletismo da Charneca da Caparica.

Prova resistente no tempo num concelho onde já houve um troféu de atletismo mas que morreu, e cujo molde se vê repetido nesta prova de forma muito semelhante às provas daquele: Provas por escalões, desde os Passarinhos à prova principal, com distâncias definidas para cada um desses escalões.

De participação reduzida em todos os escalões, não atingindo as oito dezenas de atletas na prova principal, não deixou no entanto esta prova de marcar pontos no incentivo activo da corrida para todos.

Um carro da Junta de Freguesia emitia músicas a lembrar-me isso mesmo, e ali estava guiando os atletas em cada prova. Ambulância sempre presente e em acompanhamento das provas menos curtas.

Um risco branco pintado de fresco na estrada, uma chamada por megafone e um apito soprado vigorosamente e as partidas foram sendo dadas, tendo-se iniciado a primeira prova com pouco atraso em relação à hora prevista, e seguindo-se todas as outras, assim que terminava a anterior.

Um funil de fita vermelha e branca leva os atletas à meta, onde lhe é entregue uma peça de fruta, uma garrafa de água e uns biscoitos. Troféus e flores para os primeiros de cada escalão, e mais troféus e porta-chaves com alusões à prova para classificados seguintes. Taças para as equipas. Entrega de prémios e classificações disponibilizadas no local com alguma rapidez.

Independentemente de todo o mérito que a gente que tornou possível a realização desta prova merece, saliento um factor que considero bastante grave e que só não originou fatídicos acontecimentos por mera sorte, que foi o facto do trânsito se manter aberto e em plena circulação, ou se havia condicionamento… não se dava por ele, o que na prática vai dar ao mesmo. Apesar de ter avistado algures a GNR, em vários pontos da(s) prova(s) os atletas correram sem qualquer segurança em relação ao trânsito e por sua inteira conta e risco e responsabilidade, como claramente realçava o regulamento declinando qualquer responsabilidade.

De qualquer forma não hesito em afirmar que está a organização de parabéns por ter levado a cabo mais um Grande Prémio onde a Corrida foi levada à rua e onde chegou às pessoas. E isso é preciso. Na Charneca da Caparica ou em outro lugar qualquer. Sem pódios ou ostentações, mas com o essencial: o amor à Corrida.

.....

Agora a minha prova:

Encontro no clube. Reencontros, beijos e abraços. Chega-se ao local da prova. Conversa, café (indispensável), aqueci, e parti. Só me lembro do meu pensamento oscilar entre “…não nasci para isto…” e “…já não tenho idade para isto…” – isto enquanto o coração me ameaçava saltar pela boca e todo o peso do meu corpo se sentir nitidamente em cada perna cada vez que a tentava levantar do chão para mais um passo. Mas dei. Mais um, e mais um, e mais uns quantos ainda. Também não foram muitos que a prova foi curta.

Dou por mim a pouquíssimos metros da meta sem conseguir sorrir, o que só consegui fazer quando parei, eu e o cronómetro que marcava 13m56s (o que não quer dizer rigorosamente nada), altura em que também consegui por fim fundir os dois pensamentos anteriores nesta perfeita e verdadeira conclusão: “… não tinhas a minha condição para fazer esta prova, isso é que é! Ainda assim vieste, correste, ficaste em 2ª posição num escalão com 4 atletas (na primeira metade portanto! Deste 9 pontos à equipa que alcança a 3ª posição, e … agora não é tão depressa que me apanham nestas rapidinhas… gosto de provas mais lentas e bem mais demoradas… aprecia-se melhor”

Até amanhã querido diário

O aquecimento:
A nossa partida, dada pelo vigoroso som do apito vermelho:


Quase a chegar à meta, "à rasca" pois claro:
Já recuperadas as mulheres do meu clube (e o Pacheco) a exibir um dos prémios à chegada, um pero verde:Outras mulheres na corrida: Eu, a Ana Paula Pinto, o Óscar e os nossos prémios de 2ª e 3ª classificada respectivamente, cada uma no seu escalão, mas a Paula, claro... ficou à minha frente:
A nossa equipa - Clube do Sargento da Armada, que alcançou um honroso 3º lugar, para o qual todos contribuíram:
Bastantes mais fotos no site da AMMA, e no meu album do Picasa

6 comentários:

Anónimo disse...

Olá Maria
como a prova tu também és uma resistente, parabéns por isso.
Boa semana mesmo que não corras, domingo o Nabão espera por ti.
Beijinhos,
António

joaquim adelino disse...

A organização destas provas precisam de ser muito acarinhadas e penso que você deu um grande contributo. É necessário reactivar o movimento da corrida em todo o lado onde quer que ele não exista.
As dificuldades actuais contribuiem muito para a perda de valores e todos nós temos a obrigação de contribuir para tentar estancar esta decadência que se vai apoderando da nossa juventude arrastados por quem tinha a obrigação de os encaminhar, mas que nada faz nem mostra vontade de o fazer. É o salve-se quem puder.
Para si os meus parabéns pela prova e pela sua envolvência, (a corrida , os amigos, os alertas s/o trânsito, a pobresa da etiqueta dos apoios, as crianças a correr, a auto motivação, e o testemunho sobre alguém que montou esta prova com inscrições gratuitas e sem grandes apoios.
Amiga Ana
Não se esqueça de treinar, dia 8 lá estaremos em Tomar.
Um beijinho.

JOSÉ LOPES disse...

A pouco e pouco lá vai voltando às corridas.
Também penso que essas corridas curtas e rápidas já não são para veteranas.

Continue a treinar
Cá estaremos para ver os resultados desses treinos.

Com os cumps
JLopes

ana paula pinto disse...

Oi Ana

Obrigada pelas fotos. Coloquei uma no meu blogue.

Foi mesmo uma corrida!!! Isto já não é para a minha idade. Mesmo assim, fiquei super, hiper, ultra-satisfeita com o meu resultado!!! Boa, não??

A Mafalda ganhou a aposta: fiquei à tua frente. Domingo, no Nabão, já sei que te vais vingar e chegar antes de mim :)))
Beijinho

paula

AMALI disse...

Oi
sou Amalia, peruana no Rio de Janeiro, vim conhecer teu canto
estou começando a correr e gostaria de seus conselhos
comecei 5 de janeiro e não corria nem 200 metros (leu bem, 200 metros!) semana passada comemorei meus primeiros 3km... ontem fiz uma corrida volta a Lagoa (corri e caminhei, mas cheguei 7,5 km!!!)
gostaria de sua visita, vou te linkar para acompanhar os passos de vcs e seus amigos corredores!)
beijos
amalia

Vânia Almeida disse...

Corredor, quem é você?
Descubra sua personalidade e aumente seu desempenho nas corridas.
Confira no blog
http://cuidandodocorpo.blogspot.com/
Abraços
Vânia Almeida