Pesquisar neste blogue

sábado, 10 de fevereiro de 2007

A dimensão das coisas

A paisagem quieta. Eu desloco-me. Um rasto na água em forma de “V” que se desloca também cortando a plenitude da baía a esta hora da manhã. No vértice uma gaivota de cores perfeitamente desenhadas, abrindo caminho sobre as águas e fazendo avançar aqueles dois riscos na água, que abrigam as suas patitas movimentando-se sob a água de forma harmoniosa, suave e silenciosa. O “V” afasta-se na imensidão da baía. Momento perfeito de paz e harmonia. Sigo em direcção oposta à sua, mas absolutamente da mesma forma. 1 hora de corrida contínua lenta ao alvorecer do dia.

Hoje, ainda antes do treino, mas reforçada por este, fortaleço convicções e ambições. Restauro pequenos danos causados por ainda menores abalos e recuso-me a sair da estrada que eu própria estou a construir. A dimensão das coisas… A perspectiva e o ângulo sob os quais olhamos as coisas. A importância que as coisas não têm, tendo em consideração de onde vêm. Abano a cabeça. Que disparate… A vida é bela! E eu hoje sinto-me feliz. E os fantasmas de ontem desvanecem-se como o fumo de um cigarro no ar.

4 comentários:

TOTO disse...

Olà Ana;
muito obrigada pelos seus ricites sempre que banho aqui au seu blog e sempre uma surpreza.
mas como faz para correr e ver essas coisas ter uma atencçâo,

tenho que fazer un testo.

boa continuacçâo,
bons treinos.

((toto))

Anónimo disse...

Força aí Ana, agora ou nunca.
Onde é que eu já ouvi isto?
Beijinhos

Jorge Teixeira

tsicas disse...

É isso Ana... existem coisas na vida a que damos maior dimensão do que elas merecem... não vale a pena!!!
Temos que nos agarrar às pequenas coisas boas que a vida tem e deixar
para tráz aquilo que é lixo e só nos incomoda, não acrescentando nada de bom...
A felicidade são momentos.. momentos a que temos que estar atentos e de mente aberta para os valorizar...
O que te posso desejar é que estejas atenta a esses momentos e desvalorizes aqueles que nenhum significado têm e só servem para chatear...
Jinhos amiga hoje não te tenho aqui para falar mas estás no meu coração
TD

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Antoine! Como eu corro e consigo ver estas coisas? Queres mesmo o segredo: é correr muito devagarinho e deixar os olhos pousarem no Belo!

Jorge Teixeira: agradeço imenso a força que me deu até hoje!

Terezinha: quase me deixas sempre sem palavras sufcientemente expressivas para te dizer o que sinto. Ou sou eu que não sei as palavras. Há coisas... que não se dizem com palavras, e acho que a nossa Amizade é uma delas...
Beijinho