Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2007

Chegou ao fim do dia cansada dos sapatos a que não está habituada. Tirou-os e os pés agradeceram de imediato. A seguir tirou a saia pelos pés, fazendo-a gingar na anca até que liberta da pressão esta lhe cai aos pés.

Com uma perna sobre a cama retirou as meias de seda com cuidado para não puxar malhas com as unhas. Uma de cada vez. Devagar foi descendo pela coxa, contornou o joelho e por fim libertou o pé também.

A casa está silenciosa e fria. Enquanto despe a camisola de lã e desce as alças do soutien, faz uma chamada para avisar o pai da filha que ela chegará um nadinha mais tarde. Calçou as peúgas de algodão e vestiu umas calças de fato de treino. Duas camisolas, um impermeável e por cima um colete reflector que tem escrito nas costas Maratona do Porto. É que é já noite e para sua segurança é importante que seja visível para os automóveis. Um gorro, luvas e cronómetro e rua!

Depois do treino, corre para ir buscar a miúda, ainda sem ter feito alongamentos. A pequena está já a descalçar os patins enquanto conversa distraidamente com as amigas. Já perdeu a ansiedade da espera pela mãe. Sabe que a mãe chegará. Chega sempre. E agora inicia-se outra corrida, árdua esta, até ser já amanhã e finalmente ela poder deitar o corpo na cama e a cabeça na almofada e deixar-se adormecer sonhando acordada.

Eu? Eu hoje corri 40 min ao longo da minha baía a um ritmo um bocado apressado. Acho que corri “a correr”.

6 comentários:

Anónimo disse...

Olá ANA


Essa de correr a correr.. tá boa e é bem verdade para muita gente que treina.
Ana, e se te despisses um pouquinho mais rápido, sem sentir o deslizar da roupa pelo corpo, sem te pôres a apreciar as tuas "curvas" de mulher, sem sentir o ar frio beijar e invadir a tua pele a pouco e pouco? Talvez assim já pudesses correr mais devagarinho né? Iac! Iac! Iac! Eh! Eh! Eh! Não ligues, é o efeito da embriaguez de uma dose de séries de 1000m que já fiz esta "manhana".

Beijocas

O "careca"

tsicas disse...

Mais um texto ***** estrelas, a necessidade de os ler já me está no sangue..
Continua amiga!!! que esse teu jeito mto próprio de escrever fascina-me...
Um dia destes peço-te um autógrafo!!!
Jocas
TD

PS: Aqui o "careca" é um bocado malandreco....

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

O "Careca" que não se estique!

Para a rapariga despir-se mais depressa para poder correr mais devagar, só se começar a despir-se nas escadas!

TD: ... sem palavras, apenas um sorriso e um agradecimento especial

Anónimo disse...

Às vezes convenço-me que escrevo bem....depois...bem.....depois de ler os textos da Ana, fico pensando que sou apenas um convencido!
Força Ana!
Amílcar

tartaruga disse...

Bem... até pensei que me tinha enganado no blog... hum... começo a gostar desta nova fase das rotinas, das corridas tudo envolto num vaporoso véu de sensualidade...

Continua e surpreende-nos... não há limites para a imaginação, nem para a prosa... nao há mesmo...

Aguardo, vagarosamente...

Um abraço não apressado!
Tartaruga

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Ao Amílcar: obrigada... quase me fez corar...

Tartaruga! Ainda bem que regressaste! Ou tens andado sempre aí caladinha? Obrigada também.