Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2007

Condições Adversas e Vulnerabilidades

Hoje é um dia em que posso treinar. É já noite. Fechada no carro (convém…imaginem que o carro ia aberto!) faço a auto-estrada sob chuva intensa, forte, tocada a um vento forte que abana o carro. Lençóis de água dão-nos a sensação que o carro vai para onde quer e os limpa brisas são claramente ineficazes. A velocidade abranda e os vidros embaciam-se por dentro. Lá fora vêem-se apenas luzes desfocadas dos outros veículos deixando feixes que se arrastam sob a chuva e sobressaem através do dilúvio que atravessamos.

Por causas diversas, sinto-me vulnerável hoje, mas hoje é um dia em que posso treinar…

Água. Chuva. Quero sair do carro, deixar-me penetrar por aquela água e nela me lavar, talvez ela me purifique e me regenere, fortalecendo a lucidez e devolvendo-me a luz que se tornou intermitente por segundos. Apetece-me mesmo apanhar uma grandessíssima molha.


Telefono a um amigo desafiando-o para treinar comigo. Mas não, hoje é dia de séries para ele. Chego a casa e a chuva amainou e hoje é um dia em que posso treinar.

Equipamento habitual de Inverno e parto para a estrada na esperança de mergulhar naquele mar e nele e com ele me transformar. Quero fazer parte dele e ser ele, e que ninguém nos distinga.

Azar! A chuva parou e não apanhei nem um pingo de água! 45 min de corrida contínua não propriamente lenta. 22m30s de forma ligeira e retorno não tão ligeiro mas efectivamente ao mesmo ritmo, pois terminei com os pretendidos 45 min.

----------------------------
O dia é difuso, confuso, duvidoso, inseguro, atormentado e arreliado. Mas quando à noite no escuro me falas de mansinho ao ouvido e sinto a tua respiração no meu pescoço e junto à minha boca, dissipam-se as dúvidas e faz-se luz. Mergulho num mundo que queria real mas que não existe. Ainda assim, parece que tenho todas as certezas nesse momento.

8 comentários:

Jose Paulo Neto disse...

Realmente ao treinar nestes dias sinto que a chuva me purifica e regenera...

Pena foi ter-me estragado o mp3...

Bons treinos

tsicas disse...

Também fiz uma viagem idêntica à que tu descreves só que confesso que apanhar a molha .. hum...não obrigada!!! Como não sou corredora... a minha ansiedade era chegar a casa ao pé da familia, no quentinho, um jantarinho gostoso com umas coversinhas pelo meio ( o arrumar a cozinha BBAAAHHH!!) e finalmente o "descanso da guerreira" no sofásinho a ver um bom dum filminho... enquanto lá fora tu fazes os tais não sei quantos Km (sem a tão desejada chuva!!!)... enfim opções!!! por isso uns kilinhos a mais...
mas prometo qdo não chover e os dias estiverem um boooccaaddinnhooo
maiores eu vou... andar claro!!
Jocas gandes
TD

Carlos Lopes disse...

Bons Treinos Ana, mesmo com esta chuva.

Anónimo disse...

Dúvidas........quem as não tem. Confesso que por vezes tenho mais dúvidas que certezas.
São muitas as minhas dúvidas, tantas que comparadas com as de outros, eu fico sempre a ganhar.
Certezas.....também tenho, apenas algumas, poucas, muito poucas.
E, é são as dúvidas e as certezas, que me fazem doer o peito.
Há que doi tanto.
Traições.....uma das minhas certezas, é sempre o mais certo acontecer-me, e há tanta maneira de atraiçoar uma pessoa, há se há.
Comportamentos traiçoeiros, sabem o que é?
Exemplo:
Dou-te uma prenda, zangamo-nos, tens de devolver-ma.
Canalhice.....tantos canalhas que por aí gravitam, ai se gravitam.
Enfim, devolva-se a prenda, mas fique-se sempre com a nossa "VIDA", essa é sempre nossa, só nossa, não é de ninguém.

Ana, as minhas desculpas, mas apeteceu-me dizer isto, aqui no seu canto, espero que me perdoe.

Beijinhos

Jorge Teixeira

tornadocontrolado disse...

Engraçado que ao ler estas linhas hoje, veio-me à memória a manhã de quinta-feira passada em que senti precisamente a mesma vontade de correr debaixo de uma catarata de chuva e acho que senti mesmo fortes saudades de ter asensação que a água atravessa a roupa e chega a todos os poros.
Isto deve ser da paranóia da pubalgia que me tem deixado folgar e então parece que a necessidade de correr à chuva está a atacar quem anda a "trabalhar" pouco nos caminhos da corrida...
Continuação de bons treinos e destes bons escritos.
João lopes

tornadocontrolado disse...

Só para dizer que... (?) hoje fui ao meu blog e vi que tenho sido indelicado pois não me dignei a responder aos comentários da Ana. Mil perdões mas o mundo da corrida também tem alguma preguicite nos seus meandros...
Mas, obrigado, porque hoje já escrevi... e até corri também...depois de umas mini férias...

Zen disse...

Vulnerabilidades...

... quem não as sente? Quem não as vê? Quem as compreende?

...dias, momentos, sentimentos...

Como eu adoro correr à chuva... pelos vistos tu também.

Boa semana.

5:38 PM

TOTO disse...

Olà Ana;
muito bem correre a chuva é un pouco spéssial, para min o que me mais custa é sair depois nem a chuva pensso,so quando chego a casa com os pés mulhados e cheios de lâma, mas com o corpo seco, sim so me faltava as sapatilhas para correre com os pés sêcos,fin que ja as recvi.
boa contnuacçâo e boas saidas.

((toto))