Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 17 de maio de 2012

A perna

Olha para a perna inerte, sentada na sanita, pausa momentânea de calma procurada durante o dia de trabalho agitado e nada indica que há ali um problema sob a pele branca. A perna está normal, nada se vê ou detecta à vista.

No entanto, de cada vez que se levantou da cadeira ao longo do dia, (e ela levanta-se muitas vezes), ao sair da cadeira e dar o primeiro passo e ao pousar o pé esquerdo no chão e ainda com a perna meio flectida, a dor agudiza-se do meio da canela para cima, bem no centro da perna a sugerir osso, como se fosse possível o osso doer, e ela viu surgir na sua cabeça em cada um desses momentos e eles foram muitos durante o dia, a frase fatal e fatalista "...a perna está lixada! Estou lixada...". Depois ao caminhar, como não flecte a perna no mesmo ângulo que é obrigada a desenhar quando se levanta (ou sobe e desce escadas por exemplo) a dor dissipa-se quase por completo embora não completamente.

"Isso é psicológico" quer pensar, mas sabe que é mentira...

Até amanhã querido diário


7 comentários:

Jorge Branco disse...

Pense que com um andamento mais rasteiro e algum cuidado chega lá!
Força "Pikena"!

JoaoLima disse...

Força Ana! Tudo vai correr bem!

Pedro Carvalho disse...

Sem stresses Ana e sem abusos.
Beijo.

Joana disse...

Hoje lembrei-me de ti. O médico que nos deu a aula de geriatria disse que nos EUA a cirurgia ortopédica mais efectuada era a colocação de prótese no joelho, porque os americanos tinham muito o hábito do jogging e correr provocava artroses do joelho a longo prazo. Pensei logo 'espero que não seja isto que a Maria tem', mas depois achei aquela explicação um bocado estranha: no país com mais obesos do mundo, será que a artrose no joelho não é provocada pela sobrecarga causada pelo excesso de peso? Enfim, fiquei curiosa para saber a tua opinião :)

Em relação à perna, acho que poderias beneficiar em consultar um médico. Parece-me que já tiveste más experiências no passado com outros médicos, mas há por aí óptimos fisiatras e médicos de medicina desportiva, difícil é encontrá-los ;)

De qualquer das formas, experimenta uma técnica simples: sujeita a tua perna ao frio e ao calor em alturas diferentes. Se ficares melhor com o frio indica que terás uma inflamação (por exemplo uma fasceíte, ou uma miosite, não me parece articular porque dizes que te dói a meio da perna). Se te sentires melhor com o calor é indicativo de uma contractura muscular ;)

Beijinhos e obrigada pelo teu comentário :)

Fernando Andrade. disse...

Olá Ana. Espero que não seja nada de grave. E depois de sábio comentário da Joana sinto que o simples desejo de melhoras, embora básico, é o melhor que posso fazer.
Beijinho
FA

joaquim adelino disse...

As melhoras amiga Ana, um pouco de gêlo e o milagroso Voltaren podem ajudar, mas covém abrandar um pouco (penso eu), um beijinho do Pára

eRui disse...

Olá,

Tive algo do género o ano passado, ao andar normalmente não tinha praticamente qualquer problema, já quando me punha a correr e obrigava a fazer a flexão que referes tinha uma dor que me impedia de correr, quase que perdia a força na perna. O pior é que não conseguia definir bem o epicentro da dor que se estendia entre os gémeos e o tornozelo.

Devo dizer que a dor desapareceu como tinha aparecido, ou seja, sem perceber muito bem como e porquê. De qualquer forma ainda demorou cerca de um mês e meio em que fiz muito gelo, auto-massagem, algumas pomadas e acima de tudo alguns exercícios de reforço muscular.

Espero que tenhas muita paciência e que melhores rapidamente.