Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Nariz de Cão

Depois da Meia de Setúbal, entrei na semana cansada.

Na 2ª feira não corri.
Na 3ª corri apenas 7 Km em 42min, média de 6:00 / Km.
Na 4ª não corri.
E hoje, 5ª feira, corri 10,020 km em 59m33s, média de 5:57 / Km

E em ambos os treinos, apesar de terem sido bem moderados, quer em distância quer em ritmo, senti-me incrivelmente cansada e pesada, tanto a nível muscular como respiratório. De tal forma, que se existia alguma segurança e confiança para fazer a minha Meia do Douro com mais prazer que sofrimento, elas foram severamente abaladas e se não fosse acreditar que este estado é ainda consequência dos 21 Km que corri no domingo e que até dia 20 ainda vou "recuperar", estaria neste momento bastante desanimada. Mas não é o caso!

Muitos rostos familiares no treino de hoje, e porque o tempo convidava, muitas famílias a caminhar com suas criancinhas a estorvar no meio do caminho, da mesma forma que eu as estorvo a elas calculo, mas apesar do azedume que me assaltou algumas vezes durante o treino, eu não deixei que se apoderasse de mim e a tolerância, bom senso e flexibilidade imperou. Afinal há espaço para todos.

Um dos problemas do bom tempo, é vermos invadidos os nossos espaços de corrida por todo o cão e gato. E outro mais grave são os odores que a malta exala. Principalmente a praticar exercício. E se não é a transpiração em si que cheira mal, mas sim a acumulação de bactérias na pele, nos pêlos e nos tecidos das roupas, que em fecunda germinação em ambiente quente e húmido se multiplicam e fedem que nem cadáveres ao sol! Pois é claro que ao fim de algum tempo a transpirar, é muito fácil cheirar mal. Mas se a pessoa estava lavada e se vestiu roupa lavada antes de correr (em vez de roupa já usada, portanto suada apesar de seca), o cheiro da transpiração não é daqueles que fazem desmaiar. Há tecidos que provocam mais mau cheiro e a maioria das t-shirts chamadas "técnicas" que são moda agora serem ofertadas nas provas, são um bom exemplo disso.

E hoje passei por todo o tipo de atleta:

- O que vai molhado como um cavalo mas cheira incrivelmente bem a lavadinho, a roupa lavada e a sabonete - adoro passar por esses;

- O que quer vá molhado ou seco tresanda a perfume como se tivesse saído para a noite e entornado o frasco do perfume pela cabeça abaixo, que quase intoxica quem passa - não gosto!;

- O que mesmo molhado de transpiração não emana nenhum cheiro suficientemente forte para ser detectado por quem passa por ele a menos de um palmo - admiro esse tipo de pessoa;

- E o que a 4 metros de distância fede que nem um porco e o cheiro a suor nos entra nas narinas e fere a garganta - desses fujo como posso, ou tenho de os ultrapassar e passar a ir à sua frente, ou simplesmente dar distância ou mesmo mudar de direcção.

Sei também que vários factores contribuem para o nosso cheirinho, como a própria alimentação do dia e da véspera, mas os cuidados de higiene são sem dúvida nenhuma absolutamente determinantes no cheiro que emanamos.

Até amanhã querido diário, e quem me manda a mim ter este nariz de cão?
A minha Molly

9 comentários:

Jorge Branco disse...

Devo estar no caso do tal que fede a 4 metros mas ainda não vi nenhum coelho desmaiar com o cheiro!
Nas provas como corro em último também não há azar :)

Pizza disse...

ANA, acho que não devias esforçares-te muito nesta semana que falta para a Meia do Douro!!!:)
Tu sabes que vais conseguir e que vai correr bem, se quisere sentir mais prazer do que sofrimento, aguenta as corridas até lá!!! :)

Hoje mais 8 km pela manhã!! Sim, os 15km me esperam... :P

Beijinhos enormeeeeeees!!!

Joana disse...

Olá :)

Acho que isso é aplicável mesmo às pessoas que não correm ;)

Beijinhos, e espero que a motivação chegue depressa :D

horticasa disse...

Pois os cheiro são também o meu maior defeito, não aguento maus cheiros, mas eu também por vezes não me aguento a mim... principalmente as roupas que mesmo sendo lavadas, mal começo a correr cheiram logo mal... Faz-se o que se pode!!
beijinho, vai com calma, sempre reduzindo o tempo de treino, vais ver que vai correr bem.

Corre como uma menina disse...

Eu quero acreditar que o meu cheiro quando corro não é daqueles que se alastra assim tanto ;p

Apesar de a rua ser pública, é inevitável alguma irritação devida a "obstáculos". Pelo menos quando vou cansada acontece-me muito! Mas engulo e sigo. Como dizes, também devo incomodar os outros e, olha, azar! :)

(Gostei da tua descrição, estou cada vez mais convencida a inscrever-me. Depois vemo-nos por lá então? :) )

Beijinhos

Pedro Carvalho disse...

Oi Ana.

Como eu costumo dizer, não é por tomar banho todos os dias que a pessoa deixa de ser porca.
Há pequenos pormenores que, por muito banho que se tome, a imundice mantém-se.
Mas como diz a Joana, não é só com quem corre. Quem corre tem só mais desculpas. ;)
Não te preocupes com os treinos, agora é só manter. Se fizeste uma meia na semana passada não há como não fazeres outra na próxima semana.

Beijos!

Luciana disse...

E teres alguém que fede na aula de aeróbica? É tão mau! porque estamos num ambiente fechado e não há escapatória. Depois de 5 minutos de aula, lá começa o cheirinho e atenção que eu fico mesmo à frente e a menina mesmo lá atrás.
Quando a instrutora diz : "inspira, exprira" eu só penso: missão impossivel com este cheiro!
Por informações seguras, sei que de manhã ela veste a mesma roupa da ginástica e mesmo em roupa normal, já cheira assim. Eu sei que há pessoas com mais tendencia para estes odores, mas não custa cuidar um bocadinho mais da higiene e procurar tratamento mesmo junto do médico de família.
Beijos

Algures no Oeste disse...

:P
Há de todos os tipos de atleta. Às vezes nas aulas de Cycling também sinto e noto assim uns "cheirinhos"...
A tua Molly tem um ar muito simpático.
Beijinhos.

Jorge Goes disse...

Como alguém escreveu não é exclusivo da corrida. Falando do nosso desporto favorito, é verdade que há pessoas que transpiram mais, suam mais e se não houver hábitos de higiene saudáveis a formação de bactérias provoca aqueles odores dos típicos abomináveis fedorentos. Independentemente das causas ou razões só cheira mal quem quer! Existem no mercado desodorizantes, mesmo para peles mais sensíveis e menos tolerantes. Por exemplo hipoalergénicos ou seja aqueles produtos que foram criados para evitar ou reduzir reacções alérgicas. Sem nenhuma substância irritante como o alumínio. O suor é produzido pelas glândulas sudoríperas apócrinas, e tem mau odor com a adição de bactérias (ácidos carboxílicos). Actualmente os desodorizantes compostos com bicarbonato de sódio (NaHCO3) reagem com os ácidos carboxílicos (suor) produzindo sais inodoros logo pertencem á classe que a Ana identificou como 3ª.
Mais do que hábitos higiene, uso de produtos antitranspirantes e hipoalergénicos, nada funciona se optarem pela utilização de roupa usada, transpirada e seca, mas cheia de bactérias
Viva o sabão macaco!