Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 6 de setembro de 2006


4ª feira, 6 de Setembro de 2006
Faltam 39 dias para a Maratona do Porto


Procuro as palavras, o verbo, um poema, o poema. Que diga o que eu não consigo dizer.

Porque eu não consigo. Mas vou ter de o fazer, pois não há no mundo poema com tais dizeres.

Vou ter de dizer que me tornei numa pessoa má, negra e sombria como um corvo, fria, triste, alimentada a ódio, e que esse mesmo ódio que me alimenta me corrói e destrói. A cada segundo que passa.

Não suporto o riso das crianças, o canto dos pássaros e o brilho do sol. A Felicidade. Porque a minha jamais voltará a existir. O som da alegria fere-me como punhais e fecho os olhos como se pudesse deixar de existir e de sentir. Mas não posso...

É triste. Sei que é triste sentar-me perante mim, despir-me e ver-me aquilo em que me tornei. É muito triste, garanto-vos.

Queria que me devolvesses a inocência e a pureza para poder voltar a acreditar nas pessoas e na nobreza de sentimentos e de valores.

Mas é mentira, nem tu consegues, nem eu consigo. Jamais deixarei que cheguem a mim e me toquem . O risco é demasiado grande mas o preço é também demasiado alto.

Racional. Somos animais racionais. Para que nos serve o raciocínio afinal se vivemos impulsionados pelos sentimentos, dos mais baixos aos mais nobres?

É tudo mentira! Até isto. E isso que dizem e pensam agora, e o que dizem que pensam, também, porque neste mundo já não se aproveita ninguém.

Eu queria um poema. Para dizer isto e fingir que não sinto, que era só um poema... de outro alguém.

É óbvio que hoje não treinei. E precisei de escrever isto porque não encontrei um poema bonito e triste, arrumado e certinho, para fingir que estava a fingir...

4 comentários:

tartaruga disse...

Olá miúda linda!!!!!
Tanta amargura para quê? Olha, 1º ri-me com essa de seres "má" e "fria"...depois, no Aqui e agora (em q o passado já era e ficou lá atrás) em q TUDO é possível, digo-te: JAMAIS não existe e é uma negação do aqui e agora...
Olha, levei muitos anos a perceber que "tão ladrão é o que vai à vinha, como o que fica a guardar" Mas, qdo o entendi, abandonei a postura contemplativa (e de vítima, tb e, imediatamente a raiva desapareceu) e percebi q NINGUÉM me podia devolver nada - o RESGASTE era só MEU! e que podia ser tudo o que eu quissesse...
Porque, estamos cá para experimentar e temos a obrigação de SERMOS FELIZES, sem cepticismos pq há tanta gente ainda q vale a PENA!
Sintoniza-te, Aqui e AGORA com o Universo!
Começa, AGORA, uma nova pessoa q largou a bagagem e HOJE É O 1º DIA DO RESTO DA TUA VIDA!
Beijinhos e acredita SEMPRE!!! tudo é BOM!!!

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Eu sei isso tudo "Tartaruga linda!!!" (as tartarugas são lindas como as miúdas!)

Mas foi bom ouvir. Sem dúvida que foi!

"Espelho meu, existe alguém mais belo que eu?" - A tartaruga foi o espelho hoje, e aquilo... aquilo foi um momento.

Porque aquilo somos nós todos, só que uns têm noção disso, outros não, uns valorizam mais umas coisas, outros outras coisas.E eu estou sempre a observar-me, a analisar-me.

Eu devia era de pensar menos. Mas...depois deixava de ser EU.

Zen disse...

"O homem tem duas faces: não pode amar ninguém, se não se amar a si próprio"

Camus
in: a Queda

Fica bem.

tartaruga disse...

Olá de novo!
obrigada pelo elogio (até a carapaça reluz mais)!
Pensar menos, no passado? gosto da idéia, pois libertamos energia e espaço mental p/apreciar o presente!
Deixares de seres quem és? nem penses!
continua... pensa, observa e analisa sempre (com doçura e sem expectativas). Mas fica aqui, no presente no qual és um autêntico diamante em processo de lapidação!
Bem hajas por existires!