Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O Chorão e eu

Já passava das oito horas da noite, quando do alto da sua magnífica e esplendorosa copa, ele vi-a cá em baixo, pequenina e redonda, ponto fluorescente insignificante a sobressair do asfalto.

O chorão já a conhece há cerca de 13 anos. Conhece-a de outros dias, outras horas e outras corridas também.

Recorda-se dela há doze anos, quando ali passava a correr, sorrindo ainda o sol não havia nascido, guardando um tesouro adormecido em casa, poucos dias depois de ter dado à luz o seu rebento.

Também se recorda ele de uma Milha urbana, com um percurso de duas voltas, em que ela encabeçou a corrida na primeira volta para perder um lugar na segunda e conquistar o 2º lugar do pódio. Ele assistiu a tudo. Até à entrega das flores no pódio, àquela mulher que carregava a filha enquanto emocionada as recebia.

Presenciou também sofrimento, alegria e dor, quando ela sorria por fora e chorava por dentro outras corridas que se adivinhavam já perdidas.

Com sol, chuva, noite ou dia, tantas vezes ela ali passou. Por ele. Nele se apoiou tantas outras vezes, tocando ao de leve o seu caule lenhoso, como se para não o magoar, para se equilibrar enquanto alongava e repousava os olhos na baía.

Parecia outra mulher nesses tempos. Mais magra, mais enérgica. Mas não, ele fixa-a de novo lá em baixo a alongar. É ela. O mesmo sorriso quando corre, é ela, não há dúvida disso.

Exercício: 50 minutos de corrida contínua lenta

5 comentários:

Anónimo disse...

olá Ana
de facto quem conta está sempre.
e normalmente silencioso. porque o silêncio e a escuta são talvez a forma mais eficaz (muitas vezes não a mais popular) de apoiar.
OBRIGADO, pelas palavras.
Um beijinho, continuação das óptimas corridas e votos de muitos e bons afagos ao chorão - ele merece.
Beijinho
AB - tartaruga

Fernando Andrade. disse...

É isso, Ana!

"De pé, como as árvores"...

Serenas, elas assistem a tudo e, se a natureza lhes permitisse, quantas histórias de vida elas nos revelariam!!!
Como esta que a Ana aqui tão bem relembra, nostálgica, mas...animadita, como gostamos de a ver .
Beijinho
FA

Carlos Lopes disse...

Olá Ana

fico feliz saber que os treinos continuam. A prova de Cascais é no fim de Fevereiro?? se for, quero ir fazer contigo :)

Anónimo disse...

Olá Ana
como sabes passo muitas vezes por aqui, gosto de te ler mesmo quando as palavras não são tão doces como as de hoje.
Fico feliz por te saber a correr e como sempre, a escrever.
Continuação de corridas e de palavras.
Beijinhos,
antónio

ana paula pinto disse...

Olá Ana

Pois é, a vida muda, os anos passam, mas a nossa essência permanece.

Estás a treinar assiduamente, pelo que vejo.

Beijinhos e até um destes dias, numa prova qualquer. Nem que seja apenas na linha de partida :)))