Pesquisar neste blogue

terça-feira, 9 de janeiro de 2007

Vontade de escrever? Tenho sim, mas tenho optado pelo silêncio, numa tentativa vã de me salvaguardar e proteger. Inibo-me de ser eu e isso não é bom. Ou simplesmente serei tão mais eu que não necessito disto? Não, é mentira, ainda não é altura. E tu ainda não chegaste.

Este espaço foi sempre terra prometida de liberdade. De índios e búfalos e cavalos a correr. Onde crescem plantas magníficas às vezes ameaçadas por ervas daninhas. Terra de sonhos, contos, fábulas e realidade também, essa companheira intrínseca à vida. Terra onde perversão e desejos se misturam deliciosa e maliciosamente num sonho às vezes quase real .Onde as balas dos cowboys nos põem a sangrar mas jamais nos matam. Porque não deixamos.

E assim vai continuar a ser! Alheia a tudo, despida, aqui me encontro.

E lanço-me nos teus braços, repouso a cabeça sobre o teu peito e enquanto me acaricias o cabelo e o rosto, eu adormeço feliz, enroscada em ti. Porque tu afinal existes e eu estou só, e tu tão só estás (assim dizia a canção do Variações), e hoje o meu coração tem música lá dentro. Embalo-me na doce melodia e deixo-me ficar, ganhando forças para mais tarde me levantar.

Amanhã ao acordar eu e o Sol, não sei se ainda tu existirás. Mas importa isso? Nem eu sei se existirei. Nem o Sol. Abraça-me só, hoje. Amanhã é outro dia.
"Uau! Que cena, meu!"

Outra versão do mesmo filme:

E amanhã acordarei a sorrir. E vou ter de recomeçar a correr, chega de vida nada boa! Estou quase como esse gato gordo!

4 comentários:

Zen disse...

Bom dia Ana

Gosto muito desse quadro da Paula Rego. Um pouco como a tua escrita neles há doçura, "dureza" e ousadia. Mais dificil do que exprimir ideias é acentuar-lhe os contornos de forma a torná-las mais "expressivas".

Amanhã... o que será amanhã?

Fica bem e treina que também é um acto "expressivo".

Carlos Lopes disse...

Olá Ana

Quero quem, quem eu nunca vi
Quero quem eu não conheci
Eu só quero quem, quem eu não conheci
Eu só quero quem euuu, nunca viiiii

Estou bem a onde não estou
Porque eu só quero ir a onde não vou
Eu só estou bem, a onde não estou
Eu só quero ir a onde não vou
Eu só estou bem, a onde não estou

Para mim esta letra do “ António Variações “ demonstra muitas vezes aquilo que somos. Sonhava com a prova de Badajoz, mas devido a uma lesão, terei que adiar esse sonho para outra altura.

Amanha…que será.Uma espera? Um desafio? Só espero que seja melhor que hoje.

Boas corridas.

Lénia disse...

Olá, Ana.
Descobri este poema num blog.
Não sei porquê, mas aquela conversa entre ti e o Zen no Fórum inspirou-me a trazer-te aqui estas rimas...Have fun!


Ora, aqui vai!

... ...

A Poem for Females!!

I shave my legs, I sit down to pee.
And I can justify any shopping spree.

Don't go to a barber, but a beauty salon.
I can get a massage without getting a hard-on.

I can balance the checkbook, I can pump my own gas.
Can talk to my friends about the size of my ass.

My beauty's a masterpiece and yes, it takes long.
At least I can admit to others when I'm wrong.

I don't drive in circles, at any cost.
And I don't have a problem admitting I'm lost.

I never forget an important date.
You just gotta deal with it, I'm usually late.

I don't watch movies with lots of gore.
Don't need instant replay to remember the score.

I won't lose my hair, I won't get jock itch.
And just cause I'm assertive, don't call me a bitch!

Don't say to your friends, Oh yeah, I can get her.
In your dreams, my dear, cause I can do better!

Flowers are okay, But jewellery’s best.
Look at me you idiot... Not at my chest!!!

I don't have a problem, With expressing my feelings.
I know when you're lying, You look at the ceiling.

DON'T call me a GIRL, a BABE or a CHICK.
I am a WOMAN.
Get it? You DICK!?!

TOTO disse...

sim gosto muito desses poêmas,
boa continuacçâo.
((toto))