Pesquisar neste blogue

sábado, 17 de abril de 2010

Recomeço? Outra vez?!

Estou mais gorda.
E depois?
Faltam 5 semanas para a Meia Maratona Douro Vinhateiro.
Sem treinos?
E depois?
Depois não vais conseguir!
Olha, vai p'ro ... olha, p'ráquele sítio que eu agora não me apetece ser malcriada.


Fracassar é não tentar com medo de fracassar.

Fracassar é repetir os mesmos erros infinitamente, como se estes não nos tivessem ensinado nada.

(Meia Maratona do Douro Vinhateiro... ainda vou a tempo? VOU SIM!)

Lezírias do Tejo - Vila Franca de Xira - sábado 17 de Abril de 1010, depois de um pé torcido, um pé curado, muito rabo no sofá e treinos zero, hoje ...
Capela da Senhora de Alcamé, Vla Franca de Xira
Fomos de carro até Vila Franca de Xira. Passamos a ponte para a margem sul. Parámos o carro nas Lezírias de Vila Franca de Xira. Estrada de terra batida.

- Amor? Vamos até aquela igreja!
- Vamos!
- Ou achas que é muito longe?
- Não é nada! Vamos!

Corri 13.450m em 1h32m. Lento pois claro! Mas do que estavam à espera?! No entanto ligeira, feliz e contente!

A Igreja

A Igreja era a Ermida de Nossa Senhora de Alcamé, que é uma capela da autoria de José Manuel de Carvalho e Negreiros, construída em meados do século XVIII, pelo 1º Patriarca de Lisboa, D. Tomás de Almeida.

A ermida nasceu em 1746, para acolher agricultores em épocas de intempéries. Por isso está cerca de 2 metros acima da altura das águas do Tejo.

Hoje, a actual imagem da Senhora de Alcamé (uma reprodução) está presente na bênção dos animais e é emprestada pela vila vizinha de Samora Correia, sendo uma imagem em tamanho maior em relação à original (setecentista). Em 1999, a ermida foi alvo de um terrível saque, que destruiu o valiosíssimo retábulo e provocou o desaparecimento da imagem. Até então, a ermida mantinha as portas sempre abertas aos agricultores e campinos da região. Hoje, está de portas fechadas!

A Lenda da Senhora de Alcamé

por alunos do 3º e 4º anos da Escola E.B. 1 nr. 3 Vila Franca Xira (ano lectivo 2002-2003)

"Um dia apareceu ali uma cobra pequenina e um deles tirava o leite das vacas e repartia-o com a cobra, e então começou a chamá-la por meio de um assobio.

Assobiava e a cobra vinha e ele dava-lhe leite. Isto aconteceu durante muito tempo.

Um dia, o pastor foi-se embora para outras terras onde viveu muito tempo. Passados anos, voltou a passar pelo lugar onde pastava o gado, e lembrou-se da cobra. Resolveu assobiar e ela apareceu. Mas quando apareceu, era uma cobra muito grande e valente e começou a andar à sua volta.

Como não tinha leite para lhe dar a cobra atirou-se a ele.

Neste momento ele gritou com quanta força tinha:

- “Valha-me Nossa Senhora”.

Foi então que lhe apareceu Nossa Senhora, que atirou com uma maça à boca da cobra e lhe pós um pé em cima. A cobra parou e já não atacou o homem, salvou-o.

Em homenagem a Nossa Senhora que salvou o homem, construiu-se a capela da Senhora de Alcamé em plena Lezíria onde todos os anos se faz uma romaria."

Alunos do 3º e 4º anos – Professora Rosa Cândido


Até amanhã querido diário, tenho de ir dormir que amanhã há PROVA - XXII Grande Prémio de Atletismo Moinho de Maré !!!!

Beijos e abraços a quem por aqui passou e até aqui leu! Os outros, não saberão o que perderam!

4 comentários:

horticasa disse...

Boa noite e beijinhos.
Amanhã vou fazer os 10km da corrida do benfica.
eugenia.

Carlos Bernardo disse...

Olá bom dia!
H´´a que voltar aos treinos. eu tive parado e agora a forma tá longe, vamos força.
Um abraço

João Correia disse...

Isso é que vai aí uma luta contra os quilogramas. Quem irá sair vencedor? Eu aposto em ti!

Anónimo disse...

Oi Maria

Que rico treino.... portanto!

Bj
Lobi