Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Vida Própria




"- Mãezinha, devias dormir mais e alimentar-te melhor… "–
Abraçou-me e senti-me de novo pequenina e apertada e quente e protegida envolta nos seus bracitos de menina.
Uma vontade de chorar disfarçada por um sorriso e um beijo doce, tão doce…

Ontem e hoje não treinei. Amanhã, outro dia.

Hoje, no seguimento de uma conversa em que me questionava se deveria deixar a minha filha no pai no domingo, ou não, para eu ir a um almoço pouco apelativo para uma criança, dois amigos disseram-me que eu não tenho vida própria. Acredito que foi num misto de alerta amigo sincero pois me desejariam uma vida social e emocional mais activa, livre e independente, mas também com uma subtil mas perfeitamente perceptível depreciação à mistura.

- Define vida própria – pedi
- Claro que toda a gente tem a sua vida própria, mas pronto, tu tens a tua vidinha… Podias ir a sítios, ao cinema, ter mais amigos, sair mais, sei lá, tanta coisa. Sem ser só corridas, percebes amiga? Sem a tua filha, tu só vais às corridas…

Percebo. Percebo que a intenção é a melhor. O aviso, o conselho, o desejo do melhor para mim sob o seu ponto de vista. Percebo sim. O que tu jamais perceberás é que as pessoas que correm, e quando vão ao Minho ou ao Algarve correr, fazem exactamente as mesmas coisas que todos os outros, e para além dessas, correm. Porque gostam de correr. É difícil para quem não corre entender e aceitar isso.

Se ter vida própria é ter muitos amigos e muitas farras, eu de facto não tenho.
Se ter vida própria é ir a muitos lados, ao cinema, sair muito, eu de facto não tenho.
Se ter vida própria é deixar de correr para fazer outras coisas, eu de facto não tenho nem desejo ter.
Se ter vida própria é fazer vários e muitos programas que excluam a minha filha, eu de facto não tenho.
Se ter vida própria é ter muitos motivos para deixar mais vezes a minha filha com o pai, eu de facto não tenho.

Razões existirão mil e uma, para cada alínea, mas não interessa falar delas. Não será difícil adivinhá-las.


Se ter vida própria é apenas o acima descrito, eu de facto não tenho vida própria. Mas felizmente a definição de “Vida própria” tem tantas versões quanto o número de indivíduos existentes.

E hoje porque não me apeteceu correr e tinha uma montanha de roupa para passar a ferro, a minha “vida própria” levou-me a passar um serão assim: TV ligada para simular companhia, enquanto o ferro desliza ligeiro sobre os trapos e o pensamento viaja. E hoje, esta foi a minha vidinha. Própria, sem dúvida alguma.

10 comentários:

Anónimo disse...

"Neste mundo, tudo tem a sua hora; cada coisa tem o seu tempo próprio.

Há o tempo de nascer e o tempo de morrer;
o tempo de plantar e o tempo de arrancar o que se plantou;
o tempo de matar e o tempo de curar;
o tempo de destruir e o tempo de construir;
o tempo de chorar e o tempo de rir;
o tempo de estar de luto e o tempo de dançar;
o tempo de atirar pedras e o tempo de as ajuntar;
o tempo de se abraçar e o tempo de se afastar;
o tempo de procurar e o tempo de perder;
o tempo de guardar e o tempo de deitar fora;
o tempo de rasgar e o tempo de coser;
o tempo de calar e o tempo de falar;
o tempo de amar e o tempo de odiar;
o tempo de guerra e o tempo de paz”.

Ainda que o céu esteja fortemente nublado, nunca te esqueças que ele é azul e lindo…

Um Abraço.

Orlando Duarte

MPaiva disse...

LIBERDADE

Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca...

Fernando Pessoa

TD disse...

Vida própria... arranjamos sempre definições diferentes conforme nos convém...

Vida própria é a de cada "próprio" ... tens razão..

A corrida faz parte da tua via ... concordo.. e fico feliz que ela te faça feliz ... mas qdo os teus amigos te alertam, concerteza que não é para fazeres mtos programas - variados programas- a tua filha ser posta de lado, nada disso e tu sabes bem...

Também tens que fazer outras coisas dizemos nós, a tua filha também há-de ter a sua vida própria e é bom que a tenha...

Se por vezes não fizeres programas sem ela talvez não estejas preparada quando ela os fizer sem ti ( como é suposto acontecer e bom que aconteça)

É apenas um alerta de quem te estima mas que calmamente aceita a tua decisão pois a vida é tua e só tu sabes o que fazes com ela, foi só um olhar... nada mais...

Qto a mim só quero que sejas feliz

Qto ao resto também eu tenho a minha vida própria para viver

Mil jocas

Fernando Andrade. disse...

Falar de "vida própria" é capaz de ser um excelente tema.
Mas... haverá outra ?
Cada um "consome" o tempo que lhe estiver destinado, como quiser e puder.
Quando se "vive" também a vida de outrem é porque isso nos completa e como tal, faz parte da "vida própria".
A vida é sempre "própria"!

Beijinho.
Fernando

MPaiva disse...

"Vem por aqui" — dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidades!
Não acompanhar ninguém.
— Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

Como, pois, sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém!
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!

José Régio

Mité disse...

Pois gosto muito dos vosso comentários e fico mto feliz com a solidariedade em relação à Ana pois sou amiga dela há 20 anos e conheço-a como ninguém ( e ela a mim)

E estou MUITO contente sabem porquê sabem, porque ela vai sair no Domingo e espero que se divirta muito e conquiste novos amigos porque isso só lhe faz MUITO BEM...

Eu não quero embalá-la quero acordá-la para mais coisas que possam provocar uma maior alegria de viver

Tudo de bom para todos e p/ ti Ana
do coração desejo que te divirtas
amigona....

TD

Nuno Silva disse...

A sempre tempo para tudo;
-Para estar com os Amigos.
-Para estar com a Familia.
-Para estar com o nosso EU.
-Para praticar Desporto.
Para fazermos tudo o que quisermos.
Tudo vale a pena quando a alma não e pequena.
Bons treinos.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Agradeço a todos que aqui, e cada qual na sua forma, se manisfestaram.

Do coração

Ana Pereira

Lénia disse...

Esta da vida própria é engraçada: porque já tive alguns amigos a chamarem-me de cota, por não curtir a vida à semelhança de outros da minha geração.

Vida própia é viver de acordo com o que sou, com o que me faz feliz, quer seja a viajar pelo mundo, a sair à noite, a passar o fim-de-semana todo em casa, a correr, a fazer sempre as mesmíssimas coisas.

Ter vida própria é viver de acordo com o que nos faz feliz.

MORENITA0512 disse...

Cada um deve escolher como e porque quer viver á sua maneira. Nunca se deve pressionar nem ser pressionado a fazer aquilo que não se quer. Quando nos sentimos preparados para dar um certo passo na vida, tem de ser de vontade própria, conscientes de que não nos vamos arrepender, de ter abdicado de algo que gostamos, nem de alguém a quem amamos.
Para ti o mais importante neste momento é a tua filha e as tuas corridas, por isso neste momento essa é a tua vida própria, pensem os outros o que quiserem.
O que interessa é que sejas feliz... Beijos amiga
Fátima Almeida