Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

A caminho do Inverno...


Os dias estão mais cada vez mais pequenos. Saio de casa de manhã e ainda há vestígios da noite escura preguiçosa para ir embora e chego a casa ao fim do dia já é claramente (que expressão irónica) de novo noite escura e bem escura.

Chove. Chove de noite, chove de dia e chove quando termino a jornada.


Está frio. Está frio na rua, em casa, no escritório.

Um desconforto instalado, só serenado por um prato de comida quente, já em casa à noite, partilhado com a família no calor das conversas, das risadas e dos goles de vinho tinto que acompanham castanhas assadas, quentes. As brasas do carvão onde o peixe foi grelhado a aquecerem o ambiente e a alma. Daqui a pouco será a lareira, que tanto calor dá, reconforto para o corpo e para a alma.


Com esta descrição, nada aponta que o apelo da Corrida se faça sentir.

No entanto... no entanto, essas, como quase todas as coisas realmente importantes vêm de dentro, não de fora. E mesmo com um ambiente hostil e pouco propício à prática da Corrida, mesmo muito pouco apelativo, a condição principal está cá: a vontade!

Senti vontade de correr. E entre tudo o que descrevo acima, mais precisamente antes de jantar, arranjei tempo e dei asas à vontade: fui correr!

S.Pedro ajudou e nem chuva apanhei. Apenas um percurso escuro, sem luz mas também sem gente, e a calma da noite no cimo da serra, com a vila em baixo iluminada, deu-me uma calma de que necessitava desesperadamente.

Uma palavra para o treino: Excelente.

Em mais palavras: serenidade, calma, tranquilidade, sossego, paz... "Não preciso de mais nada hoje..", diria a rapariga, mas é mentira, seguiu-se um bom banho quente e um belo de um jantar, simples, em família, reconfortante e alegre.

Correu 8, 5 Km, em 56 min... muito calmos os primeiros 6, em alegre e animada cavaqueira, e mais rápidos (menos lentos) os km 7 e 8, em silêncio apenas consigo própria e o seu coração, com o céu como tecto e a cidade iluminada cá em baixo como presépio que se aproxima. Por fim, 500 metros só mesmo para relaxar.

Até amanhã querido diário


6 comentários:

horticasa disse...

Belo treino...
Continua assim, temos que fazer da força vontade, não podemos parar...
beijinho

Jorge Branco disse...

Ainda não apanhei um valente “banho” no treino este Outono mas a lá coisa melhor que correr quando as condições atmosféricas são mesmo difíceis e no fim sentirmo-nos diferentes por temos conseguido?
Há lá coisa melhor que um treino debaixo de chuva e vento forte e depois um banho bem quentinho e um jantar reconfortante ouvindo a chuva que cai lá fora?

Hermione disse...

o inverno tem coisas chatas, mas o conforto de chegar a casa e sentir o quentinho aconchegante é maravilhoso :) eu ultimamente só tenho corrido no ginásio, porque é sempre noite quando chego a casa e onde corro não há grande iluminação... mas sabe bem na mesma :)

Corre como uma menina disse...

Das poucas coisas que não gosto mesmo no inverno é o "dia" (luz) que termina tão cedo... Mas curiosamente tenho muito mais vontade de correr com este tempo frio do que no verão, que me torna mole e lenta (ainda mais!) ;)

Foi um bom treino, haja vontade!

Beijinhos

joaquim adelino disse...

Pois, isto agora complica-se, mas treinar no Parque mesmo sem luz é a melhor opção, mesmo que chova ou faça trovões. Mesmo assim somos capazes de ser uns previligiados. Não esquecer, o Porto já nos espera de novo! Um beijinho do Pára.

Joaquim Costa disse...

é fantastica essa descrição do treino , calma ,serenidade ,enfim é tudo o que queremos de um treino ao fim do dia. terça feira também foi assim por motivos (que prefiro não falar aqui)o dia foi terrível , só no final do dia um treino em silencio com a Natércia debaixo de uma chuva gelada e constante tudo resolveu , e nem a multa que injustamente apanhei me conseguiu vencer ...a corrida tudo cura assim como os amigos e o conforto dos que nos adoram.