Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Os dias

Os dias são curtos. As horas são curtas. A Vida é curta.

Mãe, filha, mulher, criança, ave rara de asa ferida, que voa e corre. É ela!

Treina um pouco. E depois da Meia do Douro, precisava de novo plano, de nova meta volante para continuar a caminhada no rumo certo e necessário. Continua a correr. Mas dói-lhe a perna um pouco. Um pouco menos ontem, um pouco mais hoje. Dói a correr, dói a andar. Dói. A correr depressa, a correr devagar, a correr muito tempo, a correr pouco tempo. Pára. Não pára. Dói. Não dói. Parece que passou... Não passou! Dói! Que se lixe, que a Vida é muita curta e parar é morrer!










Até amanhã querido diário, aqui ou aí, provavelmente a correr convosco

14 comentários:

Joana disse...

Eu acho sempre tão comoventes as tuas fotos com o teu pai :) Só espero um dia mais tarde poder ter a sorte de continuar a partilhar as minhas conquistas com o meu pai, como tu fazes :)

Beijinhos e as melhoras para a perna :)

horticasa disse...

Já foste ao médico??
Vê lá não deixes que piore.
beijinho

Jorge Branco disse...

No meu caso a vida é demasiadamente "grande" ou seja sobra-me tempo para tudo, ou melhor tenho tempo a mais!
Mas se tenho tempo para tudo também não tenho condições para ocupar esse tempo.
Quer dizer posso, ler, escrever e outras actividades "economicas". Tudo o que implique gastar euros é que é complicado!
Quando a essa perna ela vai ficar boa tenho a certeza!
Beijinho

Pizza disse...

Ana, estou desejosa de te ver sábado :)
Vou querer saber tudo do novo plano e das novas metas!:)

beijinhos

Luciana disse...

Hello Maria :)
Concordo que parar é morrer, mas o grande desafio é saber quando abrandar e quando aumentar a velocidade...(para tudo na vida :)
Quem é que levas contiga para te tirar as fotografias ?
Beijos e boas corridas

Jose Xavier disse...

Olá Ana;

mesmo sem objectivos defenidos, neste momento, o que é importante é isso mesmo.
Mesmo com alguma dor ou sem dor, e se puder, continuar a treinar, e logo virá um objectivo.
Força!!

dos Xavier's

Nainho disse...

Bons treinos.. mas principalmente boa recuperação da lesão..
Eu estou nessa fase de recuperar mazelas e é dificillll..

Bons treinos boas provas...
E a 28 de outubro.. acho q vais ter uma grande empreitada loool :)

tudo de bom

elis disse...

a vida é curta mesmo... por isso tento estar plenamente em cada instante... é como se a vida rendesse mais:)

não sei se eu pararia de correr...
um médico uma vez me disse pra ir correndo e avaliando... mas era fascite... se fosse comigo, talvez desse intervalos maiores entre as corridas, e procurasse um piso macio onde trotar bem de leve, com passadas curtas, quase sem tirar os pés do chão... correr me faz sempre tão bem, que pra mim é também muito difícil ficar sem...
não sei o que dizer, Ana!
queria que minhas palavras tivessem o poder de fazer sarar sua dor...

melhoras, viu!

lindas as fotos!
seu sorriso, ao lado de seu pai... passa uma tranquilidade, uma felicidade...

beijão!

joaquim adelino disse...

A dor nessa zona da perna incomoda muito, livrei-me à pouco de uma (penso eu) e posso dizer que não é nada agradável. Também não parei, excepto os primeiros dias, depois foi gêlo e pomada, acabei por esquecer que tinha ali uma dor ou por outra deixei de pensar naquilo. Isso vai ao lugar e o piso ali do Parque até não castiga muito. Bonitas fotos com o Melro, ele está muito bem. Um beijinho do Pára

Mayumi disse...

Oi, Ana! Espero que a dor passe rápido! Boa recuperação!

Anónimo disse...

Nem sempre parar é morrer. Às vezes precisamos de parar (ou mesmo retroceder) para ir mais além, para retemperar forças, para recuperar...
Seu fã, Abílio Nunes

Jorge Goes disse...

Olá Ana, parece que vem por aí mais uma viagem, certo? bom fds.

Mokas disse...

Olá querida, gosto da tua persistência e da tua capacidade de nunca desistir de algo. É inspirador ver que nunca paras e que procuras sempre novas metas e novos objetivos. Espero que já estejas melhor da tíbia. Bjts e bom fim de semana

Ingrid disse...

Imagens incríveis.
Me perco na essência delas.
Palavras mudas.
Bjo!
Ingrid