Pesquisar neste blogue

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

O prazer de dormir e filosofias baratas (por causa da crise)

Há muitos anos atrás, numa aula de filosofia, veio à baila o prazer de dormir, actividade (?) tão apreciada pelos adolescentes que já discutiam animadamente o assunto.

Houve logo ali quem defendesse afincadamente que não podia haver prazer em dormir. Dormir implicava uma inconsciência, um não estar, não sentir, logo, não poderia de forma alguma sentir-se prazer em dormir.

Outros diziam que sim, havia um prazer gerado pelo acto de dormir. Não tinham dúvidas! Dormir era bom!

Confrontados pelos primeiros opositores, os acima mencionados, depressa mudaram a sua opinião, e já diziam que afinal, sim sim, não há prazer em dormir, mas sim em acordar! Aí há um intenso prazer (em acordar), proporcionado pelo estado anterior: o prazer de acordar depois de uma noite bem dormida e descansada, depois de uma sesta proveitosa à tarde, acordar é altamente indutor de prazer, diziam.

Já a maioria parecia estar de acordo: O prazer de dormir não existia afinal, mas sim o prazer de acordar, quando a escassos segundos de darem a sua brilhante conclusão por verdade definitiva e absoluta, quando ela lá do fundo da sala levantou o braço e contrariou a maioria fazendo reiniciar a discussão, quando veio afirmar como sua verdade absoluta que o acto de acordar (interrupção do sono) comparado com o acto de adormecer (início do sono) não lhe causava absolutamente prazer nenhum, ao contrário deste (adormecer), que proporcionando uma sensação de apagar, de cair em inconsciência, num mundo de paz e descanso por umas horas, lhe davam um intenso e deleitoso prazer...  Só porque sabia que iria acordar, contrapuseram alguns de imediato, logo, mantinha-se o acordar como gerador de prazer e não o adormecer! Mas houve quem percebesse a coisa e sim, concordasse que havia prazer em adormecer sim!

Concluindo... naquela sala de aula, como seria de esperar, não chegaram a conclusão nenhuma, simplesmente porque não há verdades absolutas e muito menos quando se fala de sensações pessoais, logo subjectivas.

Parece um pouco desconcertante, mas a filosofia da coisa mantêm-se até hoje e ela já não é nenhuma miúda. Por defeito ou feitio, continua a sentir um prazer intenso no acto de se deixar adormecer. Claro que até hoje, é um facto que tem acordado todas as manhãs, exactamente em igual número de vezes que se deixa adormecer, e se não há nenhum prazer especial nisso, à medida que o dia avança - e ela avança - a coisa recompõe-se. Mas Adormecer é inequivocamente muito mais prazeroso que Acordar.

7 comentários:

Só comigo disse...

E que prazer, esse de dormir!

Fernando Andrade. disse...

Olá Ana. Que tema interessante!
Sendo certo que o prazer são sensações agradáveis (conscientes)partilho da sua opinião. É muito mais prazeroso deixarmo-nos adormecer depois de um dia de fadiga, do que no acordar, a maior parte das vezes, por força do ruido estonteante do despertador, que nos apetece abafar e continuar dormindo. Quando o acordar nos dá prazer, não é pelo acordar em si, mas por aquilo que nos espera e isso sim nos dá grande prazer.
Um dos maiores prazeres que tenho é o de correr, mas por alguma razão não consigo levantar-me cedo da caminha para ir correr. Podia eu lá ter dúvidas nesta questão.
Bons sonhos Ana e um grande beijinho.
FA

Anónimo disse...

Olá Ana,

Gostei do teu texto e espero que acordes tantas vezes quantas adormeces e por muito mais tempo...
Também desejo que nesse teu estado de repouso tenhas bons sonhos.
o Freud pode-te dar umas "dicas" sobre o mecanismo do nosso "eu" ao adormecermos. O homem é bom embora com algumas teorias ultrapassadas. Eu gostei de lêr principalmente o seu livro dos sonhos.
Também falas em verdades ou verdade né? Que é a verdade então? Ela é hoje uma e amanhã outra?Existe uma frase de um filósofo que li, que dizia "verdades não são mais que pensamentos provisoriamente adequados" no espaço e no tempo.
Agora vou apagar a luz. Bom descanso e bons sonhos para ti e para as belezinhas da foto.

Bjs.

makejetomossoonsports disse...

:) Agora tenho ido treinar a Loulé com os do Louletano Triatlo. E paar isso, levanto-me às 05:30. Sim, custa um pouco, mas depois fica-se com aquela sensação de 'dever cumprido' e com muita força para enfrentar o resto do dia. Mas à noite, aí pelas 22:00, já estou a bater com a cabeça nas paredes, ou melhor, a babar-me no sofá com um comando da TV na mão, incapaz de ver seja o que for. Sim, tenho prazer nesse adormecer pelo cansaço, mas fico muito chateado por perder algumas séries que gosto muito de ver :)

horticasa disse...

Dormir é bom, . final paragrafo.
beijinho

S* disse...

Eu tenho prazer. Não só a dormir, mas também a pensar "ah, amanhã vou poder dormir até tarde". :D

S* disse...

Eu gosto de dormir, gosto de esticar o corpo, do relaxamento.