Pesquisar neste blogue

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Tropas

Quando vejo um animal de estimação com excesso de peso ao ponto disso lhe trazer verdadeiramente problemas de saúde e consequente diminuição da sua qualidade de vida, ocorrem-me palavras para com o dono, muito pouco abonatórias, tais como, total irresponsabilidade, desleixo, falta de respeito pelo animal e pela própria vida e até crime, não duvidando de forma alguma que dono que deixa o seu companheiro e amigo, vulgo animal de estimação, chegar a uma situação extrema destas, é de uma irresponsabilidade, inconsciência, falta de tino, desinteresse e maldade a roçar a criminalidade, que em nada fica atrás ao vulgarmente condenável abandono e atitudes que normalmente chamamos de maus tratos.

O animal que acolhemos é e está totalmente à nossa responsabilidade. Deposita em nós total confiança. Faz tudo por nós. Deveríamos retribuir. Que raio de pessoa somos nós se permitimos e até promovemos, fomentamos e conduzimos o nosso comportamento e atitudes para uma situação como esta?!

Sinto uma revolta gritante. Que raio de pessoa é esse dono, irresponsável e desmerecedor dessa vida que se entrega nas suas mãos, oferecendo um amor incondicional?!

E então, quando esta situação se passa com nós mesmos? Quando permitimos, promovemos, fomentamos e conduzimos o nosso comportamento e atitudes para uma situação como esta, tratando-se da nossa própria vida e do nosso próprio corpo?! Que raio de pessoa somos nós?! Que raio de pessoa sou eu?! Irresponsável e desmerecedora desta vida que se me entrega nas minhas mãos para que eu a viva?!


Estou outra vez mais gorda, pois claro! Com este discurso, está-se mesmo a ver.
É que isto a cabeça de uma pessoa (a pessoa sou eu, está claro!) é muito complicada, e nas batalhas da vida (cada um tem as suas, quer sejam aéreas, marítimas ou terrestres) nem sempre se vence em todas as frentes. E por estes dias, mandei as tropas avançarem e protegerem outras frentes e essa ficou fragilizada, sem tropas e à mercê do inimigo,  e o resultado está aí.

Azar! Tenho de reunir as tropas e reorganizar uma vez mais a defesa e o ataque nas várias frentes. Que nenhum dos flancos fique totalmente desprotegido, isso é que é fundamental, mas parece-me sempre que nunca tenho tropas que cheguem...
Foto retirada de O Operacional

7 comentários:

Luna Leve disse...

Vou adicionar-te. Beijinhos e força!!!

Também quero correr como corres, sem frio!

horticasa disse...

Força aí rapariga, olha, desde que voltou a correr o Joséf já perdeu quase um kg e tu também vais conseguir voltar para nós.... Volta Maria volta.
Beijinhos e não desistas

Carlos Lopes disse...

Podes ter muitas tropas, agora se os teus homens não forem leais, é uma batalha perdida e se não tens um plano bem definido, mais vale não ires para a Guerra, perca de tempo

S* disse...

Ai que cão gordo, na imagem. :/

É, de facto, muito preocupante. Os bichos não sabem cuidar de si, temos de ser nós a fazê-lo por eles!

Anónimo disse...

Olá Ana,

Ana, não te culpes pelo que fizeste ou não fizeste...por vezes é uma questão de sorte, do destino, e de muitos outros factores que não podemos controlar.
Olha para o meu caso. Não enviei as minhas tropas avançarem para outras frentes e estavam comigo quando o inimigo atacou. Não resistiram e foram dizimadas pelo inimigo que tomou conta do meu "domínio". Agora estou prisioneiro...quero mas não consigo libertar-me. Quero-me vingar do inimigo mas estou tão bem "acorrentado" que mal me consigo mexer.
Unindo as nossas forças talvez consigamos abater as "tropas demoníacas", que embora diferentes, "nos controlam e aprisionam". Tudo é possível de ser alcançado, com paciência, esforço e com uma estratégia adequada.

Beijões (os beijinhos engordaram)
Fernando Sousa

Jorge Branco disse...

A formula é simples, tão simples: correr mais e comer menos!
Bem com esta minha ideia simplista ainda se zanga a Maria comigo e começa a correr atrás de mim para me bater o que é, muito, vantajoso para a melhoria da condição de física de ambos!
Beijinhos ou beijões (ambos não engordam já os rojões...).

Luna Leve disse...

Andei a passear pelo teu blog a ver se te conhecia um pouco mais e este post tocou-me especialmente: http://mariasemfrionemcasa.blogspot.com/2011/08/menina-comilona.html

Como eu te compreendo. Como eu também luto contra as compulsões, como se sofre, como é difícil combatê-las. É o sobe e desce do peso (estou outra vez com 70's), é o desânimo.


Força, beijinhos

Já agora, gostava que me desses umas dicas para começar a correr a sério, pode ser? Se tiveres disponibilidade aqui vai o meu endereço de e-mail, diz qualquer coisa que depois respondo-te com todas as perguntas que gostava de fazer e ideias a ser trocadas: soniasousaricardo arroba gmail.