Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Outra

Há instantes, momentos, horas, dias, espaço de tempo dolorosamente longo e vagaroso, em que ela queria ser...

Outra...

Outra mãe
Outra filha
Outra mulher
Outra namorada
Outra amiga
Outra pessoa

Há instantes, momentos, horas, dias, espaço de tempo dolorosamente longo e vagaroso, em que ela queria ser... Simplesmente... Outra.

São instantes, momentos, horas, dias, levados da breca, esses. O que vale é que passam. Passam sempre. Para darem lugar a outros dias, dias em que ela sabe bem o valor que tem, e em que gosta muito de ser quem é.

7 comentários:

JoaoLima disse...

E todos nós gostamos de como ela é! :)

Ms Harkins disse...

Teu post me fez lembrar de uma época em que além de eu querer ser outra pessoa, eu tinha a certeza de eu vivia uma vida que não era para mim. Força colega!

Fernando Andrade. disse...

A diferença entre o que ela é e aquilo que ela às vezes quer ser, é, sem tirar nem pôr: aquilo que ela é!
E todos gostam dela por aquilo que ela é e não por aquilo que ela às vezes quer ser.
Beijinho, Ana

Carlos Alexandre disse...

Muitas vezes queremos ser quem não somos.... muitas vezes queremos ser quem os outros são.. e muitas vezes fazemos dos outros aquilo que não são

horticasa disse...

Engraçado, eu cá às vezes quero é desaparecer, tirar férias de mim, será que quero ser outra pessoa?? Nunca tinha pensado nisso...
jinho eugénia
PS. E o pai?

Novais disse...

Por aquilo que aqui costumo ler, acho que não vale a pena querer ser outra a que aqui está é isso tudo.

elis disse...

faz parte, hein, em alguns momentos querer ser outra... como disse a Eugenia, tirar férias de nós mesmos... isso seria bom...

de todo modo, será que somos sempre os mesmos? dias há que me desconheço, ou reencontro em mim alguém que fui outrora...

ser vários em um só, nosso milagre cotidiano;)

bjs