Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Desafio e Treinos

Acho que só o facto de estarmos vivos, nos coloca num constante e permanente desafio. Mas há quem esteja mais vivo que outros. Há os que adormecem e deixam-se ser conduzidos e há os que agarram as rédeas do cavalo das suas vidas e desafiam as circunstâncias e a própria vida. E há os que (são a maioria por certo) que em períodos da vida fazem parte de um grupo e noutros períodos fazem parte do outro grupo (mesmo que digam que não, não senhor...)

Eu, como provavelmente a maioria, faço parte deste último grupo, que oscila de posição. E só porque assim quero, estou (outra vez, sem vergonha nenhuma) a embarcar num desafio para perder peso. Quer dizer, o desafio está todinho nas minhas mãos, 99,99999% depende de... mim mesma!

É que isto dos Desafios, é como os Ginásios e as aulas de de Natação e outras actividades físicas: não basta inscrever-nos! É que por incrível que pareça, para além de nos inscrevermos, temos ainda de... imaginem... de ...AGIR! Ir às aulas, mexer-nos, ter cuidados alimentares! Parece óbvio não parece? Então porque para tanta gente e tanta vez, esta conclusão tão óbvia parece esquecida ou ignorada?

Este Desafio não é mais que uma motivação externa. Porque a fundamental e essencial, essa Motivação tem sempre de estar em nós. Bem interiorizada!

De qualquer forma, eu alinhei e passo a cumprir a Tarefa para a 1ª semana:

Reflectir e consciencializar-me das verdadeiras razões para ter alcançado estes magníficos
70,1 Kg que me acompanham neste momento. "Só percebendo bem a razão que nos leva a um determinado sítio, é que podemos alterar o nosso caminho." Tenho 8 perguntas a buscar resposta dentro de mim, e eu, trago-as à luz:


1.
Que sentimentos estão presentes quando comes demais?

Desistência, Raiva, Culpa, Nojo, Impotência, Penitência, Flagelação - resumindo: comer demais é para mim um verdadeiro acto de auto-destruição, suicídio dissimulado.


2. Em que pensas quando comes demais?

Que estou a desistir. De tudo. Literalmente de tudo, a começar por mim. Penso que não valho nada e que nada consigo. Nada.


3. O que sentes em relação ao teu corpo?

Depende da minha cabeça. Se estou bem, a cuidar de mim, gosto dele. Aceito-o e trato-o bem. É fonte de alegria e prazer, permite-me interagir com o meio e com os outros. Gosto dele e estimo-o. Se estou numa fase de desistência e auto-destruição: odeio-o, é escandalosamente feio e grotesco.


4. Por que queres mudar a forma do teu corpo?

Apenas e só para me sentir bem.


5.
O que achas que os outros pensam do teu corpo?

Um monte de carne e banha, embora haja quem goste: carne, carne, carne... tipo vaca ou porca, produto a consumir no churrasco. Mas a ser mesmo verdadeira comigo, passa-me ao lado essas e outras considerações: haverá sempre quem goste e quem abomine. Jamais poderemos sequer aspirar agradar a todos. O que de facto me interessa mesmo é agradar a mim mesma, e o mais longe que vou em termos de ter em consideração e me interessar a opinião, é até ao meu namorado. Porque me interessa também a sua opinião para tudo o resto, o corpo é apenas um detalhe. O resto do mundo em relação ao meu corpo e ao que pensam dele, é paisagem, absolutamente paisagem.


6.
Incomoda-te a proximidade física, por não estares satisfeita com o teu corpo?

Sim, muitas vezes sim. Não pelo corpo em si, mas pela forma como me sinto com ele. Tenho plena consciência que o problema não é o Corpo ou o Peso, é sim a forma como eu me sinto em relação a isso, e isso não é de todo menos grave, diria até que é mais grave.


7. Sentes que serás mais feliz se fores mais magra?

É óbvio que não! A Felicidade não está aí, garanto-vos, e eu até já pesei 48 quilos em adulta, sei do que falo. Mas quando se tem 70,1 Kg, sei também que me sinto bem melhor com menos peso! E quando digo sentir melhor, refiro-me tanto à parte física como à mental.

8. Acreditas que apenas terás que mudar hábitos para mudares de corpo?


Sem dúvida que tenho de mudar de hábitos. Hábitos de alimentação, de actividade física, e de Mentalidade. Tenho de mudar a forma de encarar a comida, e não responder com ela a problemas emocionais: stress, dúvidas, medos.... tanta emoção que é afundada e enterrada em comida. Está errado. A comida é fonte de prazer para além de nos permitir subsistir e ter saúde. Não pode (não deve!) ser usada como um escape a problemas, como se fosse uma droga, um calmante, uma overdose de heroína. São fundamentalmente esses hábitos - de usar a comida como escape - que eu tenho de mudar. Tudo o resto é fácil.


----------------


E as perguntas da Tarefa do Desafio estão respondidas! E agora? Continuo aqui sentada a tentar emagrecer escrevendo e lendo teorias muito bonitas, garantindo-vos que estou muito determinada e que vou mesmo emagrecer? NÃO!!

----------------------------------

Ténis calçados, cronómetro colocado no pulso e banda no peito (para registar batimentos cardíacos), roupa confortável e clara, colete reflector (é assim que me visto quando vou correr para a beira da estrada), e saio para a rua.

Corri 9 Km em 53m28s numa média de 5'56" / km

Senti-me fisicamente cansada e pesada, o que está perfeitamente dentro do expectável, e leve e confortável a nível mental.

Quero voltar a fazer dos Treinos de Corrida, e da prática de exercício físico, um hábito. Daqueles bons que se têm e não se devem perder em prol da preguiça e de desculpas esfarrapadas como a casa para limpar e a roupa para passar, ou ainda de um cansaço que é sempre muito mais devastador quando não nos exercitamos. O exercício queima calorias e dá energia! Vou aproveitar estes 2 meses do Desafio para entrar nos eixos. O que não deixa de ser engraçado, com o Natal e o Ano Novo, esta brincadeira é mesmo um desafio, passar por todas as iguarias oferecidas nesta época e manter a postura e emagrecer. Não vou deixar de comer, mas o Exercício, esse vai ser meu companheiro e vigilante, palavra de escuteiro.

Até amanhã querido diário

4 comentários:

Anónimo disse...

Desejo-te força e sorte nesta luta.
Abraços de Pittsburgh!

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Hi Ana!

I received your mail a few days ago, but... I deleted it by mistake... sorry.

and now... I'm afraid I have not your actual e-mail adress... the one I have is .....@fcee.lisboa.ucp.pt


Please send me your mail again...

Thanks

Ana Pereira

Carlos Lopes disse...

Não desistas.... vai ao encontro do teu objectivo. Bjs

Carlos Castro disse...

-Maio de 2006: 91 kg (1,77m);
-Janeiro de 2010: 69 kg (a altura não mudou!)

O que me motivou? Um simples comentário da minha namorada: "Não achas que devias perder uns quilitos?"
Que atitude tomei? Nesse mesmo dia, às 16h30, debaixo de 38ºC (aprox.) fui correr... o que não fazia havia 12 anos!
A partir daí não mais parei. Mudei também, claro está os hábitos alimentares... o principal...
Hoje sou outra pessoa!
O que precisa Ana? Exactamente o que sabe que precisa: AGIR! Acrescente-lhe duas coisitas: QUERER e CRER!
Boa sorte! Jamais desista. Quando cair... levante-se e recomece... as vezes que forem necessárias... são assim os vencedores.
Felicidades!