Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Eu e a Corrida

Ai como eu queria dizer que tenho corrido.
Ai como eu queria dizer que tenho treinado e que sou por isso um exemplo... de qualquer coisa.

Mas hoje, agora, só posso dizer que tenho corrido assim:Sem nada nos pés ou na cabeça, sem equipamento próprio, sem cronómetro ou GPS, sem plano ou método, sem aspiração ou projecto, sem tempos ou ritmos definidos, sem prova à vista e sem objectivo palpável e visível aos olhos.

Simplesmente tenho corrido, assim, descontraidamente como quem vive, descontraidamente como fazendo parte da vida, verdadeiramente livre, deixando os projectos, os planos e os objectivos para outras áreas da vida. É claro que não gostaria de ter de dizer que esta Liberdade me tem privado de uma evolução e de uma forma que gostaria de ter, mas tenho de o admitir. Afinal nunca somos verdadeiramente livres. Há sempre limitações, quer optemos por umas coisas ou por outras.

Não quer isto dizer que me tenha divorciado da Corrida, nos moldes a que nos habituamos a vivê-la. Mas antes busco um novo sentido para ela. Para ela e para mim. Se é que existe. Como num casamento saturado, onde ambos cansados incapazes de reinventar o Amor, assim estávamos nós, eu e ela, e por isso resolvi dar um tempo (quando dizem isso querem sempre dizer que acabou, só que não há coragem de o assumir, mas nós não!). Um tempo a olharmo-nos de novo como se nos conhecêssemos agora e nos deslumbrássemos com o que vamos conhecendo. Uma lufada de ar fresco preciso nesta relação. Deixai-o entrar, correr as salas e soprar. O vento. Que novas trará? Como a onda incansável que rebenta nas rochas e volta rendida, para depois voltar renovada, uma e outra vez, sempre, até ao infinito, vezes sem conta, enquanto o mundo for mundo. Cansada sim, mas invencível.

9 comentários:

Fernando Andrade. disse...

Corrida é isso mesmo, Ana : Liberdade. Não é preciso estar-se a pensar nesta ou naquela prova, nesta ou naquela marca. Correr e nada mais, conforme apetece. Essa é a Corrida que nos faz melhor.
Isto em teoria, porque eu quero vê-la em S.João das Lampas,eheheh.
Beijinho.
FA

elis disse...

oi, ana!

seu post me fez lembrar de um trecho de um livro do dean karnazes(50 maratonas em 50 dias)em que ele fala sobre motivação:
"... porque, ao seguir meu coração, com certeza despertarei novamente minha paixão pela corrida, qualquer que seja meu desempenho. Só não gosto é de atrelar as recompensas da corrida aos seus resultados. Gosto que a corrida seja a própria recompensa."
(capítulo 19, qual é a minha motivação?)

bjs

Bons Km disse...

Ah Ana, essa corrida te deixa mais graciosa do que nunca..
Parece estar muito feliz...
Mas que esse "tempo" passe rápido...
Bjinhos
Ju

Jorge Branco disse...

“Pikena”! Posso chamar-lhe assim?
Para já com esse tipo de treino parece-me que está a treinar para a UMA (Ultra Maratona Atlântica)!
Depois as fotos estão lindas e só me da vontade de experimentar umas corridas dessas (eu que ia morrendo na Meia na Areia!).
Eu não me consigo divorciar-me da corrida é a única certeza que tenho na vida!
Mas já não corro a pensar em provas nem objectivos corro por prazer e por desafio pessoal.
Julgo que correr a planificar provas é mais fácil de que correr sem essas metas.
O grande segredo é correr sem objectivos mas não o deixar de o fazer e muito.
Se eu tiver boleia conto ir a São João das Lampas (mas à míni que embora consiga fazer a meia não quero!) e espero vê-la por lá “pikena” (ai que este “poste” vai ser censurado!).

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

"Gracias" aos visitantes e comentadores.

Oh Fernando, lá estarei! No mínimo na Mini, no máximo na Meia! :)

Elis: é... temos de procurar a nossa motivação, e por vezes (comigo acontece) tenho de recapitular a minha vida e criar novas motivações! Sempre! E ela (a Motivação) acaba sempre por aparecer.

JU: pois estava feliz, dá para
notar não dá? :) Mas como dizes, que esta fase passe rápido, pois preciso da Corrida sim!

Jorge Branco: então ia lá eu censurar um comentário do meu amigo? Aqui a Piquena (só me chateia que tenha usado um "K" em vez de "q" uma letra que tanto quanto sei e é muito pouco claro...nem faz parte do nosso alfabeto!) não é assim tão radical (não?!).

Pois ao contrário do Jorge que tem condições mas não vai alinhar na Meia de S.João das Lampas mas sim na Mini, eu sem condições, muito provavelmente irei alinhar na Meia em vez da Mini. :) Precisa de boleia? a partir de onde?

Ana Pereira

CANELAFINA disse...

Correr é isto uma mistura de liberdade com felicidade. O resultado disto tudo é uma ser mergulhado na paz. Um grande abraço, Grande reflexão, Eduardo Pelotas, RS, Brasil.

João Correia disse...

Bem, estás um must nas fotos...e não gostasse tanto da corrida, diria que ela não te fazia falta nenhuma. Mas...a corrida tem muito mais que importância estética e por isso vejo-te a ti na maratona aprazada para Outono assim tipo por um canudo.
A motivação é uma coisa muito pessoal e personalizada.
Beijinhos.

Carlos Bernardo disse...

Correr é sinónimo de liberdade.
Eu corri muito,cheguei a fazer corridas de 25km só por prazer de correr, uma vez fiz 38km sem nunca ter competido mas devido a uma queda fiquei com um tendão danificado num pé e dediquei-me ao cicloturismo e gosto de fazer longas pedaladas. Um abraço e força com as corridas.

Henriqueta Solipa disse...

Ana,

Que bom poder correr assim na praia...

Muito inspirador e umas belas fotos!
Com este calor custa muito correr e junto ao mar é sempre mais agradável. Correr é para nos dar prazer, não é mesmo?

Beijinho