Pesquisar neste blogue

terça-feira, 25 de maio de 2010

"A 5ª Meia Maratona do Douro Vinhateiro" ou "O Douro sem água"



EDP 5ª Meia Maratona do Douro Vinhateiro - 23 de Maio de 2010

Aquela que se fez anunciar como a mais bela corrida do mundo, e se promoveu e divulgou de forma grandiosa, acabou por se transformar numa corrida trágica e infernal sob um sol escaldante e impiedoso (acima de 30ºC).

Tudo se passou no domingo, 23 de Maio, e depois de uma conduta nas semanas que antecederam a prova, que prometia uma prova de qualidade, no dia da prova, um erro completamente inexplicável, (pois a organização passadas 48 horas do ocorrido ainda não se explicou, deixando apenas uma breve alusão ao sucedido, de forma aligeirada, desvalorizando a situação), a mais bela corrida do mundo acabou por ser a pior corrida do mundo para as centenas de atletas que nela participaram.

A total ausência de abastecimentos para a maioria dos atletas a partir do km 8, incluindo no ponto de chegada, foi o erro fatal. Aquele que não se pode ter. Põe em risco a saúde e a vida do atleta. É a mancha que mesmo que tudo o resto estivesse 5 estrelas (não estava!) envenena e apaga por completo tudo o que de bom se fez. É demasiado sério e grave!

Colocar apenas duas jovens no 1º abastecimento (km 4) para dar água, quando se anunciava 2000 atletas para a Meia, é outro erro óbvio. Quando os atletas ainda pouco se dispersaram (km 4!), seria possível cada jovem oferecer em mão garrafas de água a 1000 atletas cada uma?! Pelos vistos, a organização achou que sim.

Poderíamos "esquecer" vários pontos do regulamento que não se fizeram cumprir, como a "regulamentada" recolha dos atletas após 1 hora da chegada do primeiro, que não se fez e que certamente evitaria vários casos de desidratação e insolação, por mais ou menos graves que fossem. Poderíamos esquecer a má organização à chegada, quer em termos de recolha de chips, quer de entrega de prémios de presença. Há atletas que levaram saco, garrafa de vinho, t-shirt, água, tomboladeira (objecto usado pelo escanção nas provas de vinhos), umas com corrente outras sem. Atletas houve que levaram alguns desses objectos em duplicado e triplicado, porque lhes era estendido em mão, aqui, ali e mais à frente, e outros ainda, faltou-lhes um ou mais objecto e a muitos, faltou tudo! Cortaram a meta e vieram de mãos a abanar, com o interior do corpo mais seco que um bacalhau seco! Se somarmos a isto o facto de terem dado 10 euros para usufruir do prazer de correr , compreenderemos melhor a revolta das pessoas e as frases ofensivas e os nomes que chamaram à organização, principalmente na pessoa do seu director, que acabou a chorar, não sei bem se por ofendido, ou por constatação da merda que fez pela sua incompetência como organizador de provas de atletismo. A avaliar pelo comunicado no site oficial da prova, em nada humilde ou sincero, desvalorizando o sucedido, tudo leva a crer que foi apenas pela primeira razão.


Mas a prova teve coisas boas!

O antes:

Informações no site oficial. Envio de mails para os inscritos com várias informações; Inscrições fáceis, de valor a dar direito a exigir tratamento equivalente (elevado); levantamento de dorsais na véspera e também no dia da prova; problemas habituais resolvidos com prontidão e boa vontade;

No dia: viagem de comboio do local de chegada para o local de partida. Partidas impecáveis com divisão clara e controlada dos atletas da Meia e da Mini; espaço para aquecimento; animação com exercícios de aquecimento e alongamento.
Tudo fazia adivinhar uma prova de sucesso. Daquelas onde todos queremos voltar.

Mas depois...depois tudo se complicou. O mais grave já foi falado (insuficiência e ausência de abastecimentos); a inevitável mistura de atletas da Meia com os da Mini, com a dificuldade de correr para os primeiros; e depois, depois tudo o resto: desorganização na entrega do saco com prémios de presença, conforme já expus acima, a insuficiência e ausência de apoios de primeiros socorros, quer ao longo da prova quer no final; a incapacidade de reparar o erro: se a água acaba ao km 8, muito se poderia fazer para nos próximos abastecimentos já estivessem repostos! Não foi feito! Valeram os bombeiros e os populares, e a cena era arrepiante. Água. Atletas a implorar por água, porque ela é essencial à vida, e eles já a estavam a perder... desmaios, desespero de sofregamente pegar numa garrafa no chão, esquecer que lábios de bocas de dentes podres e cuspo nos cantos da boca, a tocaram antes! Tudo isso é insignificante e os atletas pegam nessas garrafas e sorvem pingos, gotas de água esquecidas. É a luta pela sobrevivência! Já não se quer saber de tempos, quer-se apenas chegar. Bem. Vivo, pelo menos.

São os choros e a aflição dos amigos e familiares que esperavam os atletas na meta, pois praticamente todos estavam a demorar mais do que seria previsto para cada um. São as sirenes das ambulâncias. A partir, a chegar. As macas que não chegam. É o apelo do speaker, a todos, que tragam água, ajuda àquela gente que chega à meta e cai como tordos. Inesquecível. Foi uma prova inesquecível! Cenário arrepiante, triste. A mostrar como a corrida pode ser perigosa também. A afastar as pessoas da Corrida. A desmotivar. Uma prova absolutamente inesquecível! Pelas piores razões.

As coisas boas ainda: O Douro, o meu rico rio Douro e as suas margens. Quero correr lá de novo! Quero que a organização, se honesta for, convide e peça a TODOS que lá estiveram para fazer a Meia e que acabaram por passar um suplício infernal, para voltarem em 2011, com inscrição gratuita (como compensação e mostra de reconhecimento da porcaria que fez, o que para já não está a fazer), e dessa forma manter a prova, a corrida que pode muito bem ser a mais bonita do mundo, mas para isso, é preciso muito mais que apenas as condições naturais. Essas estão lá! Depois há que criar as outras! E o abastecimento é de fácil resolução. Aumentar as quantidades! Simples! Evitar que Caminheiros que misturem com atletas da Meia. Tanto a fazer. A corrigir. A melhorar! Eu gostava que a Organização fosse capaz disso! Será?

Talvez o director da prova seja (é!) um excelente promotor de eventos! Mas organizar uma prova de atletismo de estrada, a parte da promoção é apenas uma parte, o resto, o fundamental, o essencial para satisfazer quem corre e torna o evento num sucesso, exige outro tipo de pessoa, outro tipo de atitude.


Amanhã ou depois conto a minha corrida (Mini) nesta Meia Maratona. Sempre uma história para contar. Mas deixo para amanhã ou depois

17 comentários:

Henriqueta Solipa disse...

Ana,

Embora já tenha lido outros comentários, outras noticias... a tua descrição deixa-me sem palavras.
Fizeste-me sentir como se lá estivesse e "sentir" o terrível que foi essa prova.

Parabéns pela descrição!

Tenho muita pena por haver situações graves como a que descreves. Espero que os responsáveis pela irresponsabilidade paguem por isso porque para mim não há justificação para o que aconteceu.

bjs

horticasa disse...

Olá Maria!
Pois é verdade, quem não sabe fazer o melhor é estar quieto.
Pobres pessoas que se esforçaram, treinaram e foram tão mal recompensadas.
E afinal que conversa é esta do 90+ ou - ?
Não compliques esta pobre cabeça que já é muito complicada, áh!áh!áh!
beijos nossos para as meninas

Anónimo disse...

Olá Ana,

Olha do que eu me safei? Começo a pensar realmente que as caminhadas é que estão a dar...não se sente tanto a falta de água nem nos faz perigar a saúde como correndo e "ainda por cima" o preço da inscrição é geralmente mais baixo. O que se recebe no final é também quase sempre igual ao que recebem os que participam na prova principal (excepto para os lugares do pódio claro).
Ana, tu deves de ter sido feita a rir...ah! ah! ah! estás sempre com um ar óptimo, alegre. Viva a boa disposição e a Ana! Viva a "Maria Sem Frio Nem Casa"

Beijões! Beijões? que palavra é esta? Não ligues...o clima esta-me a afectar.

Fernando Sousa

Bjs.

Otília disse...

Olá Ana
Que pena que uma prova que tem tudo para ser excelente tenha acabado por ser tão má!
Deve ter sido uma experiencia péssima a dos atletas, eu consigo imaginar porque uma meia maratona desgasta-nos muito.
Eu preciso de beber sempre muita água e de me molhar. Nem sei o que faria sem água, era um desespero total.
Beijocas para ti, até á próxima!
Bons treinos
Otília

José Xavier disse...

Olá Ana;

Pelo que vejo o amadorismo e a falta de responsabilidade, foram a base deste desastre, que aconteceu num local de uma fantástica beleza. Não conseguir ter organização e logistica de apoio aos atletas, é a mesma coisa que lhes dar a rua para correr e isso é muito fácil.

Decerto aprenderam a lição, e t6em de ser mais profissionais.

Um abraço
Xavier

Fernando Andrade. disse...

Olá, Ana
Cada pessoa que lá esteve conta a sua experiência usando expressões como "calvário", "inferno", "deserto", etc, o que é pouco dignificante para tanto pretenciosismo.
Também não se pode dizer que a organização seja "amadora". Quantas organizações amadoras acabam por fazer uma prova a contento dos corredores!? Talvez o mal esteja num profissionalismo "precoce" em que a avidez de alguns lucros, fez negligenciar aspectos basilares:
Dois escuteiros a dar água num 1º abastecimento? e, nos seguintes nem água haver em self service? Os sponsors conseguidos são, de facto, difíceis de negociar. Esperemos que, com esta atitude, não tenham morto a galinha dos ovos de ouro.
Ah...oh Ana "roubei-lhe" a foto da tomboladeira. "Precisava" dela.

Beijinho.
FA

V. Ferreira disse...

Olá Ana.
Esta organização não aprende com os erros anteriores.
O ano anterior sucederam situações mt embaraçosas e vejo pelo teu magnifico relato que não foram corrigidas.
Vamos aguardar e ver se há humildade destes organizadores.
É que na 6ª MM na hora da divulgação, talvez grandiosa como a deste ano, muitos os irão lembrar do sucedido em 2010.
Obrigado Ana pelo teu testemunho. Bjs
V.Ferreira

Flechinhas disse...

Já praguejei tanto em relação a este lamentável episódio, que só espero que esse energúmeno do director da prova se retrate devidamente, no sentido de pelo menos poder honrar a região do Douro mas acima de tudo os atletas, que sofreram tamanha violência.
Aproveito para lhe dizer que somos, também, apreciadores do seu Blog e vamos adicioná-lo á nossa lista de referências, esperando podermos vir a ser merecedores da mesma honra.
Duarte Silva/Os Flechinhas

Flechinhas disse...

Excelente ideia Ana, vejámos até onde serão capazes de chegar!
Abraço
Duarte/Os Flechinhas

Jacke Gense disse...

Oi Aninha.. saudades de vc.. depois que o Lucas nasceu não corri mais.. mas vou dar a volta por cima..
estou lutando contra a balança... para perder os milhoes de kilos que me faltam ainda...
Um super beijo

Jacke
www.oquetemhoje.blogspot.com

Jacke Gense disse...

Adorei seu recadinho no meu blog...
Vamos que nós conseguimos menina!!! Eu tenho fé que chegamos nos nossos objetivos... Vamos tentar juntas?

beijão!

JOSÉ LOPES disse...

Olá Ana

Também já fiz uma prova em que faltou o abastecimento a do S.L.Benfica, mas a distância era de 10 km, nem quero imaginar o que será correr 21 km com calor e sem água.

Pelo que li, a próxima organização desta prova deve corrigir o seguinte:
- A partida da mini separada da meia maratona
- A quantidade dos abastecimentos
- A entrega dos sacos no final

A organização deveria ter mais humildade e fazer sair um comunicado mais pormenorizado do que se passou nesta prova.

Não vale a pena "bater mais no ceguinho"

É uma prova com uma envolvência cativante, para o ano logo se vê

Bjs
J.lopes

Vitor Veloso disse...

Olá Ana,
Foi um domingo de calor inesquecível! deve ter sido um cenário arrepiante e triste.
Devemos de chamar há responsabilidade os organizadores que prevaricam, não há justificação pelo sucedido.
Irresponsáveis.
Bjs

Filipe Fidalgo disse...

Olá, Ana.
Estive até á última para participar nessa prova, por sorte ainda bem que não o fiz.
É pena que tu e todos os outros atletas tenham passada as dificuldades que relatas, mas pior que tudo isso é a falta de respeito que organização mostrou para com aqueles que fazem deste tipo de eventos um enorme sucesso, os atletas.
Cumprimentos,
Filipe Fidalgo

JH disse...

Eu creio que infelizmente esta situação nao altera em nada as futuras ediçoes, eu acho que gostamos de ser massacrados, senao veja-se a 1/2 maratona de Lisboa (sem comparar a gravidade dos erros cometidos), em que a malta anda há que anos a queixar-se ano após ano e a coisa continua na mesma e os 35000 do costume também. Apesar de tudo, já verão como no ano que vem estarão os 10.000 deste ano. Não aprendemos ... assim que temos o que merecemos.
Joao

JV disse...

ola eu tambem passei por isso tudo pois eu aos 20 ainda ia para 1h 21 mas o ultimo km foi de gatas foi terminar e caire 1h 26 47 ainda hoje me sinti mal.

Localvisão TV disse...

A Localvisão esteve na 5ª Meia maratona do Douro Vinhateiro. Deixo o link da reportagem realizada.

http://www.localvisao.tv/vplay/index.asp?rid=17mQM9J8QIg1DbcHG0eL