Pesquisar neste blogue

domingo, 23 de setembro de 2007

I Meia Maratona Sport Zone - a minha prova

Quando o autocarro se aproxima do local da partida, uma névoa misteriosa cobre o leito do rio, para se erguer lentamente e por fim se dissipar dando lugar a um sol radioso que abrilhanta o rio, as suas pontes e as suas margens. Dentro do autocarro, em silêncio seguem os atletas, apreensivos, concentrados no desempenho e resultado que querem ter. Sorrisos tímidos e silêncio favorecido pela barreira da língua. O sorriso, esse, é universal e eu não me fartei de o oferecer, sendo sempre correspondida.

Sozinha sigo entre eles num lugar à janela. Muita gente já enche a rua, e de repente avisto um sujeito lá fora, jovem ainda mas com ar quase que diria envelhecido, caminhando sozinho calmamente à beira rio, de mãos atrás das costas, numa atitude reflexiva que emanava uma reconfortante paz e serenidade, quiçá aparente. É o meu amigo Joaquim Margarido!

Mal o autocarro pára, estão ainda a reunir os atletas potenciais vencedores, para lhes darem últimas instruções, já eu corro na peugada do Margarido. Apanho-o e aqueles minutos serenos com ele à beira do Douro, conversando e caminhando enquanto a névoa dava definitivamente lugar ao sol, fizeram-me muito bem!

Está quase na hora da partida e posicionamo-nos de acordo com o nosso nível atlético: bem lá atrás para não estorvar ninguém. Encontro o meu amigo Fonseca, que já muitas vezes me acompanhou em diversas provas. Pensamos seguir os três. O tiro é dado e dá-se início ao passeio. Sim, porque correr naquele percurso é um privilégio. As margens do Douro, o rio, as pontes, as pessoas, a cada passo éramos constantemente presenteados com belíssimos cenários. Como o Porto é uma cidade bonita, vista debaixo de suor e dos nossos passos encantados, procurando um fim, mas desejando que não chegasse.

O Margarido acaba por ir para a frente e sigo com o Fonseca, que me vai rebocando em momentos menos bons, porque os houve, de título e responsabilidade absolutamente pessoal.

Passar a Ponte D.Luís, Vila Nova de Gaia, até à Afurada. Voltar. Passar de novo a mesma ponte, voltar à do Freixo e retorno, para agora sim, corrermos para a meta, sempre sem tirar os olhos e o coração do rio, esse leito que se oferece para correr nele a água conduzindo-a ao mar, e hoje nas suas margens corremos nós, conduzidos até onde quisermos ir, pois este rio leva-nos.

Vozes conhecidas no público. Prazer em rever e não parar pois o risco da impossibilidade de recomeçar é grande.

O corpo já não o sinto, e corro apenas com os olhos e com o coração. O corpo, simplesmente o atiro para a frente! Um passo, outro passo, sem perder o ritmo de corrida, por mais lenta que fosse. Os olhos no mar, como o rio que corre. E sem dar pelo tempo, cheguei lá. À meta, onde me colocam uma medalha ao peito. Soube bem!

Fiz 2h09m26s. Uma péssima marca, até para mim! Mas que importa isso? Sim, importa alguma coisa. Mas e o resto? Que me deu esta corrida fabulosa? Não, não o consigo colocar em palavras, que são demasiado frias e simples e cruas. Não, não consigo dizer o que sinto, mas de uma coisa tenho a certeza: Valeu a pena ter ido, valeu a pena ter corrido, e voltarei sem dúvida!



Os meus dois dorsais, que fui "obrigada" a usar:
Eu, no final (obrigada José Capela) :
No final, com o meu amigo Joaquim Margarido:
E por fim uma vista aérea, mostrando a estrada cheia de gente ao lado do Douro. Correndo o rio e correndo a gente:

Resultados da prova em: http://www.runporto.com/MEIA_maratona.htm

4 comentários:

Anónimo disse...

Olá Ana,

Sinceramente Ana, gostava de ter ido contigo mais pela paisagem, mas sabes que não dava. Fica para a próxima tá?.

Quanto à corrida julgo que o tempo que realizaste deve-se talvez a te teres distraído com a paisagem, ao cansaço da viagem e ainda à tua companhia. Julgo que o culpado é o Margarido que te afecta o teu ritmo cardíaco. Já reparaste que quando ele te acompanha nas provas nem que seja por apenas uns 2 ou 3kms te faz fazer tempos acima do teu normal? Vai depressa demais? Não sei qual o motivo mas é de pensar. Será que estou com ciúmes?
Talvez.

Ana, andas a fazer uma certa batota...aonde? Tem a vêr com o teu peso. Não podes alterar como o fizeste o teu quadro mensalcom os valores do teu peso (passou quase a trimestral)da forma como o estás a alterar. Quer dizer, poder podes mas não devias né? Mas calculo que andes pelos 61kgs o que já é bom. Tirar 7 a 8kg é bom e já o conseguiste.

Beijinhos e treina sempre que possas.

Fernando Sousa

Anónimo disse...

Então Ana!

Tão perto que estou de ti e nem dás por isso. Se calhar sou eu que não quero pois estou a guardar a oportunidade para te dar um empurrãozinho na Maratona do Porto.
Mais uma vez te tornei a ultrapassar na meia da Sport Zone e como tu ias!!! Não sei o que se passou mas ias de rastos e ainda não se tinha passado o km 15.

Treininho menina e também juizinho na papinha. Vais vêr que os resultados aparecem. Continuo a querer beber um cafezinho ou um pingo contigo no Porto, a sós ou com quem tu estiveres. A pingar já ando eu pois estou com uma grande constipação.

Resta-me desejar-te boas caminhadas, sim caminhadas pois quanto a correr julgo que nada.

Um beijo
o Tó

Corredorzinho disse...

Obrigado pela força. Esta semana já correu bem os treinos. Dia 5 faço o ultimo teste, estou motivado para ir á maratona. Vamos ver....
Ana bons treinos até à maratona

TOTO disse...

Ana entâo esse treino para a marathona.
nâo se deixe ir abaicho.
curagen;
até au dia 21/10
antoine