Pesquisar neste blogue

sábado, 2 de junho de 2018

Livre ou perdida e desorientada?


Acabada a vaga de provas à borla, que de alguma forma me mantinham alerta e motivada para treinar alguma coisa porque tinha esta ou aquela prova em vista e em breve, agora, sem foco concreto e específico à vista nas próximas páginas do calendário, sem provas a que queira e possa ir em breve, eis que me sinto um pouco livre ou antes, perdida e desorientada, é verdade e eu admito.

E se é verdade que corro para ser feliz, para me sentir bem e melhor no restante do tempo em que não corro e enfrentar a vida de forma mais positiva, saindo sempre de cada treino, psicologicamente fortalecida e revigorada, o que inevitavelmente também se reflecte no corpo, também é igualmente verdade que uma provazita nos dá um foco, uma motivação extra, uma linha condutora que queremos seguir nas semanas (ou meses) que a antecedem.

E eu por agora, só almejo a 42ª Meia Maratona de S.João das Lampas, e depois a Corrida do Tejo (10 km), mas isso é só lá para Setembro, e se o desempenho da 2ª será uma consequência da forma que conseguir atingir na altura da primeira, esta, a Meia Maratona de S.João das Lampas é de facto uma prova onde gostaria de chegar na minha melhor condição possível. E se em 2015, corri os 21,097 Km em 1:37:34, o que me valeu um 2º lugar na Geral Feminina. Sim, é um orgulho esse resultado, fruto de muito e bom treino, do peso "pluma" que tinha na altura, e de um dia feliz, onde tudo correu muito bem, hoje, 3 anos depois, não digo que esse seja um objectivo, até porque as circunstâncias são outras bem distintas, no entanto, qualquer coisa que se lhe aproxime, deixar-me-á muito feliz. Treinar para isso é possível, perder peso é possível, mas não posso esquecer as condicionantes.

Por isso, sem um objectivo de tempo específico, uma coisa é certa: o objectivo "específico" é melhorar até onde conseguir. E em Setembro, veremos o que dá, sendo que e não esquecendo de forma nenhuma, que ter o privilégio de poder correr, de poder correr na 2ª Meia Maratona mais antiga de Portugal, é já por si, uma alegria, de que não me privarei se por ventura chegar à meta com 2 horas e muito.

Por isso, seguem por agora não os habituais relatos de provas, mas o prazeroso
caminho para a 42ª Meia Maratona de S.João das Lampas. 

E hoje, foram 6,2 Km em 38 minutos, numa luta contra o vento e um cansaço inexplicável.

Até amanhã querido diário




Sem comentários: