Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

3º dia da 1ª Semana – faltam 81 dias para a Maratona do Porto

Hoje cheguei cansada a casa. Talvez o facto de, para poupar uns míseros 13 euros, e porque é Verão, o tempo é melhor e maior (a minha filha não tem aulas nem outras actividades), só trabalho 10 dias este mês e sou da opinião que é coisa que só me faz bem e mal nenhum, (só tenho de sair de casa ligeiramente mais cedo e chegar ligeiramente mais tarde), resolvi nestes dias do mês de Agosto, fazer parte do percurso de casa para o trabalho e o regresso, a pé, caminhando, em vez de usar o autocarro ou o carro. Assim, 30 minutos certinhos a andar bem (mas a andar mesmo bem, num ritmo acelerado), e bem calçada, demoro eu de casa ao barco e outros tantos do barco a casa. A distância não deve faltar muito para os 4 Km, que se desdobra: de manhã e ao fim da tarde. A caminhar desde o dia 1 de Agosto. A travessia do rio continuo a fazer de barco já que não se me meteu na cabeça que o poderia fazer a nado e poupar mais 13 euros. Fosse o Tejo o Douro (imensamente mais estreito) e não sei mesmo se não teria optado também pela natação.

Este novo comportamento tem particularidades engraçadas. Mudando a rotina, obriga-me a usar roupa ainda mais prática do que aquela que habitualmente uso, e outra coisa engraçada é que é ao chegar ao escritório, a primeira coisa a fazer, passou a ser… lavar os pés, limpá-los e massajá-los rapidamente com creme hidratante e substituir os fedorentos ténis por umas frescas e práticas (sempre!) sandálias. Até à hora do regresso. E só não tomo banho porque… não há condições.

Pois hoje, fosse pelo calor, ou por outra coisa qualquer, cheguei a casa cansada. Moída, amassada e morta como rato na boca de gato que brinca com o corpo deste, inerte, horas a fio antes de o devorar.

Confesso que a vontade de me atirar para cima da cama superava e bem a de ir correr, mas ainda assim, equipei-me e fui. Porque quero fazer esta Maratona! E claro, como sempre, quando se contraria a inércia e/ou preguiça, nunca nos arrependemos de termos decidido ir treinar. Sempre. Em mais de 30 anos de corrida, esta é máxima que nunca me falhou. Basta vencer a inicial falta de vontade, e eis que no fim regozijo-me sempre: ainda bem que fui treinar!

Pois durante o treino não me senti nem melhor nem pior que ontem. Algumas dores nos gémeos (normal), e para além da terrível constatação já confirmada ontem do meu estado físico em geral e consequente dificuldade em correr, outra quase tão terrível suspeita de ontem se confirmou hoje: preciso comprar ténis novos! Os que tenho, quer pelo uso quer pelo peso extra que entretanto ganhei, já não me oferecem o amortecimento que preciso agora mais do que nunca. A carga vai aumentar, e por ora o peso ainda é demasiado. Há que prevenir lesões. A carga vai ser aumentada aos poucos, e um bom amortecimento é essencial particularmente nesta fase para as minhas características individuais neste momento.

Corri apenas 41 minutos. Poderia ter corrido um pouquito mais, mas não estava especialmente interessada. Venho do zero, as provas de 15 em 15 dias ou mais espaçadas no tempo, em que tenho participado nos últimos meses, são o mesmo que não fazer nada, em termos de treino e de preparação física. São o mesmo que fazer rigorosamente nada! Hoje fiz 41 Minutos de corrida lenta e contínua como só poderia ter sido. Foi bom. Amanhã outro dia. Mantém-se portanto a direcção certa.

Até amanhã
ah! E hoje não há fotos. Quem tiver preguiça de ler, azar, nem vê os bonecos, porque hoje, não há bonecos.

3 comentários:

Anónimo disse...

E assim é que se fala!

Lénia

JOSÉ MANUEL D.LOPES disse...

Mesmo no meu "descanso desportivo" continuo a acompanhar as palavras do seu blog e as suas "aventuras desportivas".

Continue

Bons treinos

Bjs

J.Lopes

MPaiva disse...

"(...)quando se contraria a inércia e/ou preguiça, nunca nos arrependemos de termos decidido ir treinar. Sempre. Em mais de 30 anos de corrida, esta é máxima que nunca me falhou. Basta vencer a inicial falta de vontade, e eis que no fim regozijo-me sempre: ainda bem que fui treinar!"

Nunca tinha pensado muito nisso, mas comigo acontece exactamente a mesma coisa. Principalmente de manhã, quando saio cedo para correr, a vontade é muito pouca. A verdade é que, rapidamente, chego à mesma conclusão da Ana: "Ainda bem que vim correr"!

Força Ana!