Pesquisar neste blogue

domingo, 24 de junho de 2007

Mata dos Medos

A Mata dos Medos foi hoje palco de mais um treino fabuloso como o são todos os meus treinos ali.

Em boa hora mandada plantar por D.João V, séc. XVIII, na tentativa de travar o avanço das dunas (também designadas por “medos”, o que veio dar nome à Mata), a Mata dos Medos é desde 1971 considerada parte integrante da Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica.

Cerca de 300 hectares onde predomina o pinheiro manso, mas também o zimbro-costeiro, o medronheiro, a aroeira e o rosmaninho, entre muita outra vegetação de identificação impossível para um leigo como eu, mas que constituem uma rica colecção botânica que ladeia caminhos e trilhos de terra batida arenosa e criam um paraíso para uma boa parte dos corredores, onde eu me englobo, como já se viu.

Paraíso também o é para as raposas, coelhos, ouriços caixeiros, genetas, gralhas-pretas, corvos, poupas, pica-paus, águias-de-asa-redonda, açores, patos bravos, lagartixas, sardões, sardaniscas, e várias espécies de cobras, que só excepcionalmente se deixam ver.

Clandestinamente, entro e saio na mata deixando apenas pegadas e algumas gotas de suor certamente.

Gosto de partilhar aquilo de que gosto. Hoje “levei” lá dois novos amigos e dei-lhes a conhecer o "meu" pinhal. Com prazer. Muito prazer. Tanto ou mais que aquele que o meu próprio treino me deu. Não somos nada sem os outros...


Eles? Acho que gostaram. Repetiremos.

1h27m de corrida contínua lenta.

2 comentários:

André Vila Alves disse...

Olá Ana.

Que belo local de treino. É uma sorte poder correr em lugares assim. Não participei na corrida do Porto pois fiquei adoentado. Entretanto fui à Serra da Estrela fazer a prova dos 3 cântaros.
Beijinhos e bons treinos.

TOTO disse...

Olà Ana;

sim é un prazer de correr nos sitios assim naturais.
boa continuaçâo;

boas saidas;

(toto)

antoine