Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 16 de maio de 2018

6º Trilho das Lampas



S.João das Lampas, 12 de Maio de 2018

Já sabemos que a Organização deste Trilho é o Meia Maratona de S. João das Lampas - Grupo de Dinamização Desportiva, em parceria com a Sociedade Recreativa, Desportiva e Familiar de S. João das Lampas e podemos encontrar todos os pormenores, regulamento  e demais informações da prova, aqui, no site da mesma. É só clicar aqui e pensamos que  podemos ficar a saber tudo do Trilho das Lampas.

Mas não, não...não...lamento mas não é assim e desengane-se quem assim pensa. Para saber o que é o Trilho das Lampas, é preciso ir lá. Correr e sentir. Basicamente sentir. S.João das Lampas!

Não foram este ano? Temos pena, agora só para o ano. Mas...Talvez, só talvez vos possa transportar lá se estiverem interessados na viagem...Estão?  Entremos então no Trilho das Lampas!

No alto da arriba, por cima da praia de S.Julião, com mais de 11 Km percorridos a "partir pernas", num lusco-fusco a esvair-se para o negrume da noite, encontro-me sozinha varrida e despertada pela brisa fresca que me cola a roupa ao peito, que encho de ar, e me revigora de forma única e fabulosa. Olho o mar e o céu, absorvo toda aquela imensidão do universo e sozinha, encontro-me. Simplesmente encontro-me. Sensação única e inexplicável. Ah, isso podia ser em qualquer trilho, dirás. Mas não. Não podia! Quando valores como a amizade, carinho, respeito e estrondosa admiração perfeitamente justificável me levam às Lampas, tudo nas Lampas é diferente. Transcendente. E é "apenas" uma prova que nem chega a 21 Km de distância e pouco mais de 500 m de desnível positivo, ideal para quem quer experimentar o Trail e aparentemente não se percebe tanto êxtase por cortarmos aquela meta, quando já for noite escura.

Ah pois! O Trilho das Lampas é especial. Pelo ar que se respira em que se  sente o trabalho e empenho daquela gente, que tudo faz para nos abrir o Trilho das Lampas como se desvendasse um segredo valioso e nos oferecesse uma prova magnífica para nos deliciarmos.E na verdade assim é!

Quando ainda antes da praia, acelero o passo para chegar à praia antes do Pôr-do-Sol, subo a encosta íngreme e com os músculos das pernas a arder e  a suplicar por uma pausa, ouço chamar atrás de mim "Maria Sem Frio Nem Casa!" e quando me volto vejo uma menina bonita, de olhos claros bonitos, de escrita bonita a revelar um bonito coração, e o meu coração se invade de genuína alegria ao ponto de a abraçar com uma espontaneidade rara, porque sou um bicho do mato pouco dado a manifestações daquilo que sente, e então sinto-me imensamente tão feliz por a encontar ali, o regresso dela após a participação na 1ª edição destes Trilhos e tão feliz simplesmente por eu ali estar a viver o momento. Mas queremos chegar à praia antes do Pôr-do-Sol. Nem de propósito encontrar  ali a Susana. Ela avança pois vai melhor que eu e deixa-me para trás. E eu, avanço como posso. Mas o Sol não esperou. Outra vez não esperou por mim. Treinasses, diz-me ele baixinho com malícia e sarcasmo, já escondido no mar, enquanto eu atravesso a praia conformada.

Ah! Então dizes que o Trilho das Lampas é magnífico porque tens sensações de total comunhão com o universo, sensações de plenitude e porque dás abracinhos a amigas que reencontras no Trilho?! Mas lá isso são razões?! Isso poderias encontrar em qualquer trilho...

Não, não podia. E eu digo-te o que o Trilho das Lampas tem, se a ti te interessam apenas factos concretos e palpáveis.

Tem uma inscrição no valor de EUR 10,50 na 1ª fase, depois vai, natural e compreensivelmente subindo até chegar a EUR 14,50 apenas a uma semana da prova, caso ainda haja inscrições o que este ano não aconteceu, pois as inscrições esgotaram.


Tem chip incorporado no dorsal personalizado com o nome do atleta e um contacto da organização para caso de emergência. Pontos de controlo pelo percurso.

Tem uma Caminhada de cerca de 10 Km a decorrer em simultâneo. Tem uma excelente e eficiente organização nas inscrições e levantamento de dorsais.

Uma t-shirt de boa qualidade e de corte feminino para as mulheres.

Tem um bonito relvado e um pórtico insuflável na Partida que é pontal e animada.

Tem um percurso maioritariamente em Trilhos e caminhos de terra, com marcações absolutamente irrepreensíveis, quer de dia quer para o período da noite, com setas reflectoras e pontos de luz. Faltaram este ano os archotes a arder na ponte Romana, que lhe davam um ambiente absolutamente mágico, mas luz não nos faltou.


Tem o Rancho folclórico a cantar, tocar e dançar pelo meio do percurso, ainda de dia. Tem abastecimentos suficientes com água para beber, em copos e depósitos de água para reabastecer, lava-mãos, banana e laranja, bolinhos, batatas fritas e tomate. Eu vi tomate?! Tenho quase a certeza que vi tomate com sal, petisco que andava a pedinchar desde o 1º trilho, e tenho quase a certeza que vi uma meia rodela de tomate perdida e solitária num tabuleiro vazio, mas, a ser mesmo tomate, era já só meia rodela, abandonada, o que me levou a preferir a laranja que era com fartura e acabadinha de cortar. O que só prova que o tomate ou tem muita saída ou então não arriscaram a cortar muito. Ou então eu apenas imaginei e não havia tomate nenhum...

O Trilho das Lampas tem um bonito percurso, um Pôr-do-Sol na praia para a maioria do pelotão que chega à praia por essa altura, tem trilhos de dificuldade de média a reduzida, o que o torna ideal para principiantes e é também muito corrível. Haja pernas, força e folêgo.

Há apoio da organização pelo caminho. Mesmo sozinho nunca te sentes verdadeiramente só. Mais além há sempre alguém a orientar, apoiar ou acautelar numa ou noutra parte do percurso que possa ser mais perigosa.

À chegada à meta, há o pórtico e uma chegada condigna. Medalha muito bonita é colocada ao peito dos atletas.

Chá quente, sopa de legumes, água, fruta, bolinhos e batata frita. Nada falta para repor energia aos atletas.

Há banho disponibilizado, embora de água fria. 

Entrega de prémios, com troféus e taças, na geral e por escalões, em absoluta igualdade entre os géneros.

Classificação disponibilizada muito rapidamente no site da organização.

Foram ainda disponibilizados fogareiros para quem quisesse compor a ceia ali no largo de S.João das Lampas.

E isto é o que o Trilho das Lampas oferece, de forma visível, palpável e inegável. Mas o que o torna especial? Ah, o que o torna especial são as pessoas! As pessoas e a energia que emanam, as pessoas que o organizam e te recebem em S.João das Lampas. É o empenho, a entrega, o trabalho e a humildade, ah a humildade, essa coisa cada vez mais rara de encontrar. E o resultado é este: um Trilho absolutamente espectacular, num ambiente único e fantástico que não deixa de encantar e cativar quem lá vai! Mas o que tem de especial, insistes em perguntar. Vai lá para o ano e ...sente! Sente! Porque só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos e é o essencial que torna o Trilho das Lampas muito especial.

Muito Obrigada Fernando Andrade e toda a sua equipa! Estão uma vez mais de Parabéns! 

Se penso voltar? Sempre!













20,8 Km percorridos, em 2h55m49s

Fui 510ª classificada da geral de um total de 585 chegados à meta


Em video, uma das belas passagens neste Trilho das Lampas: na Ponte da Fonte da Bolembre, ao Km 3,5, por Rui Manuel Andrade, para ver aqui - E este som da água? Maravilha!

Resultados, para ver aqui

Fotos

Por Luís Duarte Clara, para ver aqui

Pelo Melro, para ver aqui

Por Rui Manuel Andrade, para ver aqui


Em video, por Luís Gouveia:



E pela Saloia TV para ver aqui, a Partida  da prova e a adorável entrevista com o responsável e mentor disto tudo: o mestre Fernando Andrade

Do arquivo de uma totalista da prova, pateta orgulhosa e que espera daqui a 20 anos continuar a poder dizer com orgulho, prazer e alegria que é totalista da prova:

A minha história no Trilho das Lampas:

O 1º Trilho das Lampas - 2013
O 2º Trilho das Lampas - 2014
O 3º Trilho das Lampas - 2015 
O 4º Trilho das Lampas - 2016
O 5º Trilho das Lampas - 2017

2 comentários:

Filipe Torres disse...

É uma vergonha, mas nunca fui ao trilho das Lampas! Mesmo sendo um seguidor há uns bons anos do blog do Fernando Andrade, foi mesmo o primeiro blog que conheci (não o conheço pessoalmente!) e só ter boas indicações desta corrida. Obrigado pela viagem, prometo (a mim mesmo) que para o ano não falho, dê por onde der! Ah, e fico contente pelo aumento de frequência de posts por aqui :)

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Filipe Torres...e eu prometo, que quando as inscrições abrirem para o 7º Trilho das Lampas, vou lembrar-te dessa promessa! :)

Aposto (e eu só aposto quando sei que ganho) que não vais sair defraudado.