Pesquisar neste blogue

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Quem?

Quem me deu a mão e o seu corpo quente e forte para eu me encostar e apoiar nestes dias?

Quem me olhou impotente mas profunda e comtemplativamente enquanto eu sofria, matava e morria? Quem me beijou o rosto lavado em lágrimas (lavado salvo seja, que haveria de certeza muito muco nasal também à mistura) e quem não me abandonou um minuto que fosse? Quem sem saber, sabia tudo, e não me largou e me apoiou o tempo todo? Porque sentia e simplesmente sabia que eu precisava?

Quem me lambeu as lágrimas e o ranho, sem pudor, querendo de novo o meu rosto limpo? Quem me pediu um sorriso quando eu chorava? Quem me desafiava para brincar quando o que mais me apetecia era estar quieta, e que depois, me respeitava, largava a bola e ficou horas silenciosamente a olhar-me nos olhos?

Quem esteve sempre comigo? E hoje quem me fez interromper o tédio e a rotina das limpezas e me fez calçar os ténis e ir para a rua correr?

Ela, a Molly:2 Km com ela: corre / anda /faz xixi / cheira aqui / cheira ali
+
6 Km sozinha em 38 minutos, tendo lá pelo Km 3, caminhado cerca de 200 metros


Eu sei que nós humanos, gostamos (e precisamos) de humanizar as acções dos cães e de outros animais, que eles quando nos lambem as lágrimas é mesmo pelo sabor e não estão propriamente a oferecer-nos o seu melhor lenço de branco alvo e bordado à mão. Mas sabe bem. Sabe muitíssmo bem ter um Amigo assim: que sem compreender as razões, nos compreende, está ali connosco, em perfeita sintonia, a apoiar-nos, a tentar que fiquemos melhor. Não tenho qualquer dúvida que um Cão é um Amigo. Dos melhores que se pode ter. E eu tenho: a Molly.

Com isto não quero dizer que desvalorize os humanos. Tive e tenho amigos que também estiveram (e estão) comigo. Em horas más também. Porque normalmente nessas é que se apuram e refinam as amizades e o amor e outras balelas tantas vezes referidas mas não sentidas.

Quis apenas, hoje, demonstrar o valor que atribuo a um peludo de quatro patas e mostrar o que ele nos pode dar. Sem pedir nada em troca, sem segundas intenções, sem se importar com o nosso aspecto, sem nos julgar ou censurar - embora tenhamos as nossas dissidências e ela me mostre muito bem quando está chateada e/ou amuada, - sem interesse para além do Amor que nos tem. Porque Amizade é uma forma de Amor.

Também podia fazer uma composição, tão ou mais comprida que esta, acerca das desvantagens de ter um cão. Mas agora não me apetece, até porque na minha opinião, o acima descrito sobrepõe-se a tudo o resto e tem um valor inestimável, valor esse que pretendo preservar.

13 comentários:

Anónimo disse...

olá Ana
fica um beijo e o desejo de que as coisas vão ao (bom) lugar.
Bjs
António - AB Tartaruga

Henriqueta Solipa disse...

"O amigo certo se reconhece numa situação incerta." (Cícero)

Tudo de bom para ti :-)

Jorge Branco disse...

Estou “órfão” de cão e tenho tantas saudades!

elis disse...

:)

feliz por você;)

eu tenho um netinho aqui, o bilu (yorkshire dos mais ranzinzas), que nos traz muitas alegrias!

bjs

Novais disse...

há certos amigos que sem dizer o que quer seja se tornam mais intensos que qualquer outro.Esse é um deles

Lénia disse...

É muito lindo e tem ar de ser um excelente companheiro!

Bjos

Anónimo disse...

Olá Ana,

Um beijinho para ti e para a Moly (não sei se está bem escrito). De certeza que se fosse ao contrário também o ser de quatro patas estaria a escrever o mesmo de ti, uma humana com H grande e que muitos gostariam de ter ao seu lado.
Hoje é um dia especial e espero que o teu coração tenha a correspondência adequada no que diz respeito à "outra parte...".
Mando-te apenas um grande e forte beijinho...tudo o resto que aqui gostaria de te escrever poderia ser mal interpretado e a Moly podia querer morder-me...um grande apertão para ela muito juntinho ao coração.

Bj
Ananás



Ananán

José Xavier disse...

Olá Ana;

Nós também temos um amigo em casa. Chama-se Bob, e já está a caminho dos 12 anos ! E também da mesma forma afável e carinhosa, faz-nos diárimente, muitas belas surpresas.
Viaja todos anos connosco a Portugal.

É um grande companheiro.

Quando por vezes conhecemos bem muitas pessoas, preferimos ter como amigo um cão ! E é um grande amigo isso poderemos ter a certeza.

Um abraço dos Xavier's

ana paula pinto disse...

Ai, Ana

Mas que se passa, mulher?

Andas sempre chorosa, ranhosa e a lamentares-te:-))))

Que diabo!...

Chora só pelo que valer a pena chorar...
De preferência, chora só de alegria.

João Paulo Meixedo disse...

Grande Molly.

Corridas e Maratonas disse...

Estou longe, fisicamente, da minha querida Olga, a vejo pelo skype... é minha companheira e esta sempre ao meu lado.Sao os seres mais paixonantes deste mundo.
A Molly é linda!!!

bjs pri

Sandra Silva disse...

Compreendo-te! Os meus "meninos" miaus são da familia, e defendê-los-ia com todas as minhas forças contra qualquer humano! O amor não conhece fronteiras de "espécie". Animais somos.
Não sei o que te atormenta tanto, que te leva a escrever o que escreves. Mas uma coisa sei: ´cada minuto perdido de lágrimas, são 60 segundos de felicidade que perdes. E o tempo é de oiro. Temos de saborear cada minuto. Valorizar o que deve ser valorizado, e o resto...passa ao lado!
Que a Força esteja contigo, e sais vitoriosa dessas batalhas!...:)

Actividades disse...

Como diz a Sandra: "Não sei o que te atormenta tanto, que te leva a escrever o que escreves."
Espero que as coisas estejam a melhorar.