Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Medo da chegada à Meta e da nova Partida

Com a aproximação do dia, ela tem andado pior. Muito pior. Mas mesmo muito pior!

Apoderou-se dela um nervosismo, um misto de ansiedade e medo a roçar o pânico em toda a sua amplitude. As expectativas são propositadamente mantidas baixas por mera defesa.

Desejou o dia desde o dia que partiu, há cerca de três meses atrás, contudo partiu atrasada como ela bem sabe. Ainda assim partiu. Devagar. A fazer valer o "mais vale tarde que nunca", e o "vale sempre a pena quando a alma não é pequena". E a dela não é, isso ela sabe.

No entanto tem medo. Muito medo. Um medo quase maior que a alma e que encobre esta. Medo que não resulte a par de outras tentativas, medo de não chegar a esta Meta, ou chegar quando for demasiado tarde para ela. Meta essa que a obrigará a nova Partida. Imediatamente. Apenas a continuação da Corrida. Desta corrida que dura há mais de quatro décadas, e que lhe marca esta meta volante para dia 28 de Janeiro de 2010. Como outras, alcançadas todos os dias sem ela se dar conta que o faz.

Tem medo. Muito medo. Vontade de parar, encostar à berma ou mesmo voltar para trás. Desistir. Há momentos em que pensa que não vai conseguir, que o esforço até aqui é completamente inglório e inútil. Não vai conseguir. Não ela. Momentos em que é tentada pelo mais fácil: parar, desistir, fechar-se , trancar-se, abandonar-se, despejar-se da vida que lhe resta para por fim descansar.

Outros momentos há, em que se sente confiante e que almeja uma luz. A esperança é a última a morrer, dizem. É preciso é que não morra ela antes.

No entanto, enquanto não morre, continua. A correr. Devagar, em direcção àquela meta, sabendo de antemão que é apenas mais um passo para continuar a Corrida.

E dentro desta Corrida está também inserida sem dúvida alguma o XXI Grande Prémio Fim da Europa, onde ela alinhará, já no próximo domingo dia 24 de Janeiro de 2010.

12 comentários:

Vitor Veloso disse...

Olá Ana,
Tenha confiança, que tudo lhe vai correr bem!
Tenha uma boa jornada em Sintra, boa sorte para domingo.
Bjs
Vítor Veloso

Fernando Andrade. disse...

Andavas tu, Maria, procurando
A banheira onde estava àguinha quente
P’ra lavares o teu corpo, mas pensando
Que seria melhor lavar a mente.
E com tanto vigor foste esfregando
O que limpo já estava certamente,
Que às tantas, quando olhaste a tua mão
Já tinhas gasto todo o teu sabão.

Mas no banho, Maria, te libertas
Te expurgas do maligno que atormenta
Teus dias mais cinzentos, sem abertas
E pensas na Corrida que te alenta.
Com passos de Corrida, quais ofertas
Ganhas lu;z no sorriso e te contentas
Corre, Maria, que enquanto tu corres
Tu vives sem pensar que um dia morres.

Beijinho, Ana
e bom Fim da Europa
(devagarinho, mas desfrute)
FA

Bons Km disse...

Ana,
Boa prova, tudo de bom, estou torcendo por ti, vai correr tudo bem...
Bjinhos
Bons Km
Ju

joaquim adelino disse...

Um riso para o meu pranto!

Tenho os passos firmes
Agora que estou agarrado a tuas mãos invisíveis.
Confio nos teus atos seguros
Confio na tua atenção para comigo
No teu cuidado de Pai
No teu capricho de mãe
No teu zelo de amigo.

Hoje tenho os s passos firmes
Porque sei que não estou só
E que jamais estarei;
Pois sei que até o próprio chão
Criaste para amparar-me
E as pedras dão sentido ao meu caminho.

E por todo universo existem estrelas.

Mãos que outrora me acariciavam
Hoje, aplaudem meu descontrole e meu vacilo.
A voz que dizia prelúdios de amor
Hoje, resmunga augúrios a minha desilusão.

Mas sou forte.
Tenho os passos firmes.
Ao chão decairei somente após a morte.
Mas meu espírito, bem sei, até em tal circunstância, ascenderei glorioso
Levado pela brisa de tua misericórdia protetora.

Não decairei jamais
Nas profundezas do abismo,
Como antes andei, abatido e desprezível,
Sob o domínio da turbulência dos insensíveis.

Liberto, agora, está minh’alma das presas do vício,
Das armadilhas do sexo,
Das façanhas dos desejos complexos,
Sem precedentes fixos num sentimento completo
Que seja de benção divina e que abençoa,
Que seja amor verdadeiro, humano,
Próprio de quem ama, compartilha, e perdoa.

Sinto frio.
Meu corpo arde de carência e desejo.
Tudo em meu pensar me leva a promíscuos anseios
De viver uma emoção de prazer e satisfação;
Contudo, o que me vem de bom grado é pecado
E o que me vem da benção de matrimônio
Vem-me como por obrigação ou engano.

Muito já lamentei meu destino,
O presente de um futuro em projeção
Na minha velha face de menino;
Não obstante, hoje, não rio,
Também não choro,
Sou indiferente à carne,
Sou mais teu espírito consolador,
_ Barco, âncora, vela, e o leme em vossa mão.
Sou o barco à deriva navegando
Sobre s ondas turbulentas
E mesmo quando no vácuo horripilante da maré
Ceio, em paz, da fartura do teu alento.

E vendo o reluzir do céu fulgente em pranto
Doando ao mar sereno e vento
Durmo na paz do teu acalanto.

É; São assim meus dias nos últimos tempos...
Não falo de mim
Não murmuro aos ventos
Não quero dividir dor;
Não darei a outro o sabor do meu sofrimento.

Não falo de mim
Porque a outro pareceria tormento
Ninguém entenderia que minha dor não é simplesmente dor,
E sim, riqueza que faz crescer um espírito em desenvolvimento.

Vou assumir os pecados perante o mundo
Os meus
Os dela
Os deles...
E de quem mais quiser que eu assuma.
Assumirei pecados e penitências,
E ainda porei meus arrependimentos em suma.


Hoje; logo hoje!
Dia em que a data pesa mais que a cruz
E o domingo é mais sangrento que o dia da paixão;
Não que eu queira me comparar a Cristo
Mas meus dias são antevésperas e vésperas
E nunca manhãs de ressurreição...

Minha cruz não pesa mais que pétala ao vento
Ou o madeiro sobre o cérebro das formigas
Porém, para um homem nada mais é tortura
Que a tortura de noites e noites mal dormidas.

Novamente estou casto
Como jovem sacristão
Que abre mão da namorada
Para glória da devoção.

Ingenuidade de criança
Que não sabe o maior mandamento:
Amar a Deus sobre todas as coisas,
E de toda tua alma,
E a ti mesmo que é o próximo mais próximo
E de Deus Divino templo.

Mas a Deus pertence o tempo
Como o homem pertence aos ventos da emoção.
Vou de barco, vou de pé, vou de vento, de sonhos
De poeira de constelações
Vou de cruz aos ombros e cravos
Ditando meu pergaminho,
Mas vou, quedando-me e caindo,
Mas de pés firmes no caminho
Porque tenho o afago Divino
E uma mão na minha mão.

Poema que pode dar alento a uma amiga
Retirao da NET
Um beijinho do Pára

José Alberto disse...

Olá Ana,

Porque hoje é dia de aniversário, os meus parabéns.

Que tenha um bom dia, de preferência a correr.

Mas, acima de tudo, que tenha um bom ano. Tenho, cá para mim, que este vai ser o seu ano...

É um pressentimento.

Com amizade

José Alberto

Daniela disse...

Oi Ana,
Sou iniciante no mundo das corridas e passei aqui pra te prestigiar. Criei um blog pra mim e gostaria muito que vc desse uma passadinha por lá tb: www.correndoemagrecendo.blogspot.com
Bjos e abs,
Daniela

Fábio Pio Dias disse...

Olá Ana!

Estive com o Mário Lima, e o mesmo disse-me que a tinha visto, ainda tentei vê-la para conhecer pessoalmente e felicitar-lhe duplamente, pelo excelente blogue e pelas primaveras.

Desejo-lhe toda a feliciade e tudo de bom, que deseja e é claro, com muitas e longas corridas e treinos pois será também sinal de longevidade com saúde.
Fique bem!

Anónimo disse...

Parabéns!
Feliz Aniversário, com muitas corridas!

Mité disse...

Nuskinha

Não sei como me posso redimir por não te ter ligado no dia dos anos.
Sabes que te adoro que quero o melhor para ti, que és a minha amiga mto especial com quem eu me preocupo sempre. O teu bem estar é
o meu a tua alegria é a minha e só quero que sejas muito feliz. São 20 e tal anos de construção duma amizade sentida sincera critica e partilhada.É bom saber que foste correr que te sentiste bem, e tens sempre que dar continuidade a essa Paixão e também a outras que te passam pela à frente.
És bonita por fora e linda por dentro, temos partilhado muitas alegrias e tristezas e assim espero que seja por muitos e muitos anos.
Só quero que sejas muito feliz e tu sabes bem isso
Mil Jokas Minha amiga, não te liguei mas lembrei-me, só que foi
um dia muito complicado.
Sei que me desculpas, mas eu é que não desculpo :0(
Que este novo ano te traga tudo o que tu anseias.Eu vou estar aqui a fazer " uma forçinha"

Mil jokas amigona sempre presente !! Adoro-te
TD

Mité disse...

Corre amiga , corre nem que seja devagarinho, corre que nessa tua corrida hás-de chegar à meta como
tanto anseias.
e eu?? eu ... vou estar lá para te aplaudir e para te ver subir ao pódio!!!

Parabéns nuskita !!!
Bjos

Carlos Lopes disse...

vi te, disse ola e Nadinha

João disse...

jA corrida das Lezírias foram um encanto pela sua beleza natural.
Mas não só..., O Club dos Sargentos da Armada estiveram sempre à frente dos meus olhos.
Força Ana!