Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Corrida de Sesimbra

5 de Outubro de 2009 - Corrida de Sesimbra 2009




Ao fim de tanto tempo, tanto que se perde no próprio tempo ou na memória que não se quer lembrar, volto a calçar os ténis e vou correr. Não. Não fui treinar, como deveria andar a fazer.

Fui à Corrida de Sesimbra. 10 km anunciados. 1h00m21s de tempo gasto. A conversar e a rir durante uma hora, dividida em duas partes, onde na primeira fui genuína porque ia muito bem, e na segunda onde o disfarce foi mal feito e até deu para me interrogar o que fazia eu ali e considerar seriamente a desistência desta relação de amor nada fácil.

Depois...quando termino e agora mesmo nesta hora, reencontro a resposta. Preciso dela. Se ela de mim precisa é-me indiferente, mas eu, clara e inequivocamente, preciso dela!

Classificações no site da Xistarca

Fotos na Galeria do site da AMMA

6 comentários:

Carlos Alexandre Lopes disse...

Parabens

Anónimo disse...

Olá Ana
gostámos de te ver...também a correr.
Beijinhos,
António e Isabel.

José Alberto disse...

Bom dia Ana,

Parabéns pela prova.

Seria mais fácil se fizesse uns treinitos durante a semana. Porque não apostar num desafio qualquer que lhe desse uma "motivação especial"? Há que descobrir a paixão e, depois, alimentá-la.

Força e bons treinos

José Alberto

Jorge disse...

---------\\\\|/---------
--------(@@)-------
-o--oO--(_)--Ooo-
Olá Aninha, bom dia e aí quanto tempo hein...
Que corrida boa é essa, correr na beira do mar e entre amigos é muito bom, parabéns menina, realmente concordo com vc nós precisamos da endorfina da corrida mesmo...rsss...

Boa semana e bons treinos,

Bjs

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.blogspot.com

joaquim adelino disse...

Olá amiga Ana.
Apesar de tudo não foi mau de todo, valeu pelo sacrifício, é que aquilo também não é nunhuma pêra doce. Faltam duas semanas para o Porto e ainda se pode aprimorar muita coisa.
Já tinha visto o seu pai, ou foi ele que me viu? só sei que quando passei lá estava ele a tirar a fóto com a mão esquerda e com a direita estendida estava a cumprimentar-me, fiquei muito contente por o ver. Foi quando soube que também devia estar por ali, consegui vê-la de relance, mas nem um ai saiu, tal era o estado em que ia, mal, mal, mal.
Talvez no Parque Urbano as coisas corram melhor, para si e para mim e aguardar que isto melhor até chegar ao Porto.
Um beijinho.

Mário Lima disse...

Olá Ana

Embora já tenha lido vários dos seus temas, conheci o seu blogue através do blogue do Joaquim Adelino, companheiro de muitos anos de corrida, só agora é que vou comentar.

Para além do título que tem "Maria sem frio nem casa" que acho uma escolha sem paralelo no mundo dos blogues, e já ando nisto há muitos anos, sorrio sempre com a forma como relata cada prova que faz.

... Tanto tempo que se perde no tempo... É verdade!... Tanto tempo que se anda nisto e ainda se pega nos ténis e vai-se correr faça chuva ou sol quando a vontade por vezes é ficar atrás da vidraça e ver a chuva cair ou o sol mordiscando o horizonte.

A minha segunda parte também foi quase uma tragédia de Shakespeare, e a meta tão loooonge!

:)

Sorrio também quando perguntámos a nós mesmos o que fazemos ali. É quase como: - Tirem-me deste filme que não quero ser nele actor. Mas somos actores, realizadores e cortamos a fita com o desalento ou um sorriso do tamanho do universo quando a prova nos corre bem.

Depois da tempestade passada, olhámos para os nossos ténis, ali estão eles olhando para nós. Mecânicamente enfiamo-los nos pés, abrimos a porta e saímos para o mundo.

Tudo de bom!