Pesquisar neste blogue

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Actualização

Porque parece que já nos habituamos a não ter tempo, que quando o temos, temos de arranjar maneira de o matar, a ele, o tempo, e sem outra razão que a acima, dou por mim a meticulosa e organizadamente actualizar os meus contactos. Telefónicos. Ou” telemóvicos”? Visto que se movem comigo para onde quer eu vá e dormem comigo onde quer que eu durma e até se mantenham comigo em noites de insónia ou de conversa animada, e até mesmo me acompanhem no trabalho e no café, e … sabe-se lá mais onde.

Dos números apagados, 5 (cinco) pertenciam a indivíduos já falecidos, e que uma qualquer força (ou fraqueza) me impediu de os apagar até agora, como se o facto de os manter ali me fizesse acreditar que ainda estão vivos. 2 (dois) eram números de indivíduos em que dei por mim a pensar “mas para que raio tenho eu o número de telemóvel deste tipo/a?” pois só ali ficaram por se pensar que o contacto se justificasse e mostrou a vida que afinal não se justificou, nem justifica. E outros 2 (dois) ainda eram de título semi-profissional e que apenas se justificaram enquanto certas negociações decorreram.

Todos os outros se justificam. Pelo menos, por enquanto. Assim é a vida. Assim sou eu na vida das pessoas, assim são as pessoas na minha vida. Como a agenda de um telemóvel. Pessoas que chegam, passam, ficam um tempo, e partem. Todas! Sem excepção.

5 comentários:

joaquim adelino disse...

Olá
Já que se fala de actualizar:
O treino está actualizado?
Esta coluna aqui à direita no bloque não se actualiza?
Vamos lá, estamos à espera.
E o Parque espera por si.

António Almeida disse...

Olá Ana "Maria" Pereira
as tuas palavras foram das primeiras que encontrei quando comecei aqui na blogosfera à procura de "maluquinhos" pelas corridas.
Palavras por vezes doces, por vezes amargas, mas sempre palavras, as quais como sabes prezo muito, palavras que às vezes
têm que ser ditas porque o coração ou o que quer que seja assim o pede.
E se a Maria não tem frio nem casa terá sempre palavras, cá deste lado mesmo que por vezes pareça que ninguém as está a ouvir, alguém as vai ler e talvez pensar no sentido das mesmas, é assim a Maria.
Por um tempo chegados, por um tempo na vida na Maria e, como todos, um dia de partida, por hoje (o tempo "presente") ainda a tentarem ficar, beijinho "Maria"
António e família.

PS)Ana sentimos a tua falta em Tomar.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Joaquim Adelino! Muito agradeço a visita e sempre as palavras que escreve! A coluna da direita já está actualizada! Já o treino.... ainda não... (por enquanto)

António... Pois espero que continuem "presentes", como sempre!

Tomar? Pois... até eu senti falta, a minha falta...

Beijinho e até breve com certeza

Ana Pereira

Carlos Lopes disse...

Meus amigos
O Natal não é a minha Festa. Uma questão semântica, ideológica, religiosa ou pura teimosia. Mas seja qual for a razão não invalida que eu não o use para dizer que ao menos nesta quadra eu me lembrei de ti, de si, do senhor ou da senhora. Não é uma mensagem que vai ao desbarato para todos os meus contactos. Vai mesmo um a um, porque é um a um que eu quero desejar todas as coisas boas que se deseja aos amigos. É um a um que eu abraço os meus amigos e lhes digo:
Bom Natal e Prospero Ano Novo

José Alberto disse...

"Pessoas que chegam, passam, ficam um tempo, e partem. Todas! Sem excepção".

Ana, quando as pessoas partem, ficam as memórias. Procuremos preservar aquelas que têm um sabor suave e que enchem a nossa alma. Essa nostalgia é, por vezes, dolorosa, tem duas faces. Tentemos aproveitar a face que nos preenche.

Um beijinho
José que também corre