Pesquisar neste blogue

sábado, 28 de novembro de 2015

A caminho de Sevilha, com Portalegre, Sintra e outras pelo caminho...

Depois de ter atingido uma forma como há muito, muito tempo não tinha, e ter feito aquela marca fantástica na Meia das Lampas, a 12 de Setembro (1h37m), por motivos vários, deixei-me cair. 
Continuei a treinar, fiz a Maratona do Porto, mas a forma das Lampas onde está?

8 quilos a mais (sim, em 2 meses!), motivação a roçar as ruas da amargura e vai-se lá saber porque o ser humano é tão humano e eis que a rapariga se encontra a 12 semanas da Maratona de Sevilha onde quer fazer a sua 7ª Maratona e tem muito trabalho pela frente.

Para além disso, tem as pernas em muito mau estado. Não está propriamente lesionada, recusa-se a aceitar o facto, mas continuam a doer-lhe imenso os tornozelos, os joelhos, tendões de aquiles, gémeos e outros músculos e tendões de que desconhece o nome e se encontram todos nos membros inferiores. 

Claro que foi a carga para a Maratona, com Trilhos pelo meio, e claro, depois a recuperação não se fez. Oito dias depois da Maratona foi fazer os quase 27 km no Trail da Arruda e nunca o deveria ter feito. Ou antes, foi muito feliz etc e tal, mas as pernas, as pernas meus amigos, chiam como leitões na matança! E assim continuam. Com mais ou menos paragens, mas as dores continuam lá! E nem sabemos muito bem o que fazer para as eliminar. 

Entretanto, ontem foi correr no VII Treino Nocturno das Lampas e correu feliz, apesar das dores, 21,050 Km em 2h07m, só mais meia hora do que fez há 2 meses, e não pensem que foi porque quis. Não fez ontem mais rápido simplesmente porque não conseguiu! 

Voltaremos ao tema, porque a organização da Meia Maratona das Lampas, organizadora deste treino assim o merece. Mas por agora fica apenas esta imagem de 3 amigos felizes depois de correremm uma "Meia Maratona" numa noite ventosa.

2 comentários:

Horticasa hoticasa disse...

Bom dia linda!
É a estrada, deixa-te de maratonas na estrada, se és feliz nos trilhos dedica-te aos trilhos.
Queres um ex? o Józséf se não tivesse deixado a estrada já não corria, garanto.
Andava sempre com dores, nos tendões, chegava a fazer hematomas no tendão de aquiles, nos joelhos, com mazelas, tomava imensos comprimidos, era mais o tempo de recuperação que o dos treinos, ele não se queixa muito mas eu sei.
Pensa nisso, beijinhos nossos

Elis disse...

ah, como essa Maria é ligeira, corre veloz, a flanar sobre trilhos e intempéries... Vai vencer, sim, a Maria, porque sabe viver intensamente cada momento. E sabe nos conquistar com palavras plenas de vida!