Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

O Natal. Passou. Como passam os carros, as aves, as pessoas e a vida. As prendas que se dão e que se recebem. Se trocam afinal. As prendas fáceis embrulhadas. As raras e preciosas sem papel nem laço mas estendendo-se pelo resto do ano. O que podemos dar? O fácil que a nossa carteira alcança e o raro que é dar-nos a nós próprios. Pedaços de nós que vão e regressam sempre mais ricos e fortes.

A viagem. Será a última viagem? Será a melhor prenda? Será? A estrada que te leva e por onde não voltarás? Ficarás lá ao pé dele? A olhar para e por mim, feito ave que és, em vida aprisionada e impossibilitada de voar? Voarás finalmente? Mesmo que para isso tenhas de me deixar? Aqui? Só? Nesta estrada por onde corro e onde já correste comigo mas que jamais voltarás a pisar?

Não posso deixar de chorar, uma morte anunciada, uma despedida silenciosa em que sabemos tu e eu que será a última vez. Uma saudade já sentida e a pressa de dar, de me dar, pois posso já não ter tempo! Quero que leves pedaços de mim. Talvez assim te sintas menos só, e eu mais acompanhada. A viagem... Iremos juntos mais uma vez, e voltaremos ainda. Eu sei. Mas até quando? Até quando?


A S.Silvestre do Porto espera-nos para mais uma viagem juntos, mais uma camisola ganha para te dar. E depois? Depois a quem darei as minhas camisolas?

Não tenho corrido, mas que importa isso? A tua vida acabou de entar no Inverno

7 comentários:

Carlos Lopes disse...

Olá Ana

Vejo que o ano de 2007, tem sido muito complicado para si. Foi o mesmo para mim, ingrato, maldoso. Por vezes tentei passar por cima, mas as forças não estavam lá. A uns dias atrás, olhei me para o espelho e disse a mim mesmo. Sempre foste uma pessoa de coragem, vontade em vencer então porque estas a desistir de tudo. Então para vencer essa parte mais fraca que eu tenho, a outra parte vencedora terá que ser superior. 2007 será, sem duvida um ano de muitas vitorias pessoais, 1º deixar de fumar, 2 ( não posso dizer). Espero que o ano de 2007 seja de muitas vitorias pessoais para si.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Obrigada Carlos Lopes.

Tudo de bom também para si e que alcance essas vitórias. E lembre-se (que eu também tento fazer o mesmo) uma boa parte do sucesso para se alcançar essas vitórias está nas nossas mãos.

Um Bom Ano para si!

Anónimo disse...

Nuska
O teu ano foi mau ??? porquê ???
questiona-te e quando estivermos juntas vais ter que me dar a resposta.
Queres melhor fim de ano que o meu
e no entanto a vida é para a frente
não conto baixar os braços e encolher os ombros.. sigo em frente!!! Muito depende da sorte mas muito mais depende de nós..
Só a falta de saúde nos atinge profundamente e muitas das pessoas a quem ela falta continuam a lutar com coragem e dignidade e força...
Não sejas tão negativa Ana pára com isso e vai em frente luta por ti pela tua filha pela vida, com os braços para baixo e ombros encolhidos não fazes nada por ti, e tu vales muito mais que isso a questão é quereres...e porque não ???
Desejo-te um 2007 com mais força coragem e menos lamentações...
Eu continuo a pensar que és capaz!!!
Bjos Grandes para ti e MAF e um Bom Ano

Anónimo disse...

Bem Nuska não me identifiquei no meu comentário anterior mas tu sabes quem eu sou!!!(não foi por mal)

a TD amiga do peito,critica confidente que o que mais deseja é que o teu "EU" positivo se sobreponha ao teu "EU" tão negativo
Mil Jocas e pensa em mim que eu sempre penso em ti, amiga! TD
Bom ano + 1 x Adoro-te TD

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Inconfundível TD! Inconfundível!

Tu és a pessoa que melhor me conhece, podes tudo, sabes realmente do que falas.

É certo que passo a vida a lamuriar-me, mas é praticamente constante e tem a ver com o que tu tão bem sabes. Porque especificamente sobre o ano que está a acabar, não tenho queixas nenhumas em particular, nem me vês a queixar-me que 2006 foi um ano muito mau, ou complicado, difícil ou sequer doloroso.

Agora quem mal me conhece, como o “Comentador” Carlos Lopes, é natural que, sabendo da minha existência há poucas semanas ou meses, lhe pareça que as minhas lamúrias sejam bem específicas e se devam a factos muitos concretos e daí referir o facto do ano de 2006 deve ter sido muito difícil para mim, assim como o foi para ele.

Nós (todos) esperamos – mal de nós no dia que perdermos a esperança – no final de cada ano que o próximo seja melhor, nos traga isto e aquilo e por aí fora.

Se leres com mais calma, verás que não me queixo “o ano 2006 foi muito mau, difícil, penoso, doloroso, etc..”, pois não?

E não só porque é hábito, aproveito aqui para te desejar um Bom ano de 2007. As contrariedades serão ultrapassadas, TD.

Beijinho
Até breve

Anónimo disse...

Obrigada amigona qe eu saiba nunca me desejaste um bom Ano só "por ser hábito" nós não funcionamos assim.
Já sabes que vou precisar do teu apoio e lucidez para me ajudares nesta fase em que por vezes me vou abaixo. Mas se tudo correr bem será mais uma coisa daquelas que já passou... assim espero!!!
Té já amiga do peito *** Jocas
TD

Anónimo disse...

Estamos curiosos por saber o que se passou depois!
Bom ano de 2007, com muitas e boas corridas