Pesquisar neste blogue

domingo, 5 de novembro de 2017

14ª Maratona do Porto




Maratona do Porto é sempre uma festa. Começa para mim, alguns meses antes, com a organização dos autocarros que a Runporto disponibiliza para transporte entre Lisboa e Porto. Este ano não foi diferente. Quer dizer, na verdade foi! E muito! Extremamente limitada em tempo e meios, lá consegui reunir 67 participantes que viajaram num único autocarro com destino à magnífica cidade do Porto para desfrutarem da cidade e da fantástica prova rainha: a Maratona do Porto, ou da Family Race (15 Km) ou mesmo apenas da Caminhada, eventos que decorrem em simultâneo com a Maratona e permitem a todos participar na festa.






Saímos sábado de manhã de Lisboa rumo ao Porto. Sempre algum stress, receio de alguma coisa me ter falhado, de alguma coisa correr menos bem, receios esses que se vieram a revelar infundados mais uma vez. Mas até chegar a Lisboa no domingo à noite, não descanso.

Este ano, vinda de lesão, não consegui atrever-me a fazer a Maratona, pelo que me inscrevi na Family Race, prova de 15 Km, igualmente regulamentada e cronometrada. E mesmo para essa, os treinos foram os que o esporão no calcaneo me permitiu e não foram os que deveriam ter sido.

A feira da Maratona, situada no Edifício da Alfândega do Porto, recebe-nos com vários stands, onde se podem encontrar boas oportunidades de compra e também vários artigos alusivos à Maratona. 


Levantamento de dorsais fácil e rápido. E uma Pasta Party, gratuita para os inscritos na Maratona, acompanhada de música ao vivo num ambiente verdadeiramente especial.












O reencontro com amigos e conhecer novas pessoas, é sempre agradável e muito enriquecedor. Saímos da feira de barriguinha e coração cheio, deixando ainda espaço, especialmente no coração para muito mais que este fim de semana me veio a dar.

Rumo ao hotel, passear e descansar um pouco e de novo, novo reabastecimento de energia que preciso correr amanhã 15 Km....Só!








O dia da prova

Não há nervoso miudinho. Afinal vou só ali correr correr 15 Km. Há duas emoções distintas: tristeza por não partir para a Maratona e usufuir do que só a prova rainha nos dá, mas também uma espécie de alívio por ir apenas correr 15 Km e mais nada me ser pedido. Há algum conforto nisso acompanhado de tristeza e desalento. É estar dentro da minha zona de conforto, sem sequer poder ambicionar grande coisa nos 15 Km, pois não houve treinos para isso. É simplesmente ir correr 15 Km, ali, atrás dos Maratonistas...

O pequeno almoço é cedo e há uma mesa de iguarias. Pena ir correr, penso. Tanta coisa boa para degustar. Como bem mas demasiados ovos mexidos, que adoro e que continuaram a mexer dentro da minha barriga até ao fim da Corrida!






Depois, é ir para o local da Partida. Levados pelo autocarro da organização (uma das vantagens de ficar em hotéis com parceria com a Maratona). 








E num ápice lá estamos. Reconhecer o local de partida e de chegada, lamentar-me baixinho "ai, aqui não chegarei este ano, esta meta não vou cortar - a da Maratona, ai, ai, ali é que que queria estar...sou tão infeliz...ai ai", mas tão baixinho, tão baixinho que nem eu própria ouvi muito bem, pois mais alto ouvia o meu coração que gritava com alegria: Corre, Vive, Ama, Usufrui. E assim fiz, sem pensar muito mais!






E depressa chega a hora da Partida. Deixo o meu amigo António entrar no último bloco da Maratona e eu parto de trás, no bloco dos 15. Em menos de 2 km estava a apanhá-lo e a partir daí sigo com ele, sempre na conversa, até a Corrida bifurcar (ao km 12) e então sigo sozinha para a meta. Apanho uma boa subida (Av. Boavista) e só depois...meta!  Foi mais de 1 hora de conversa com ele, velho Amigo reencontrado, o que muita alegria me deu por o encontrar tão bem!






Corto a meta, marcava o cronómetro da prova 1h36m. Sabido que só passei a linha de partida alguns minutos (3 ou 4) depois do tiro de partida, devo ter feito a coisa em 1h32m, 1h33m. Dentro de expectável. 

Regresso ao hotel, almoço, e usufruir mais um pouco do Porto que daqui a nada é reunir as tropas e voltar a Lisboa.



O balanço: 

O balanço é a Felicidade a romper a pele e irradiar por todos os poros. São as emoções. Permitidas e proporcionadas por uma prova de excelência, que começa intensamente na véspera na viagem de autocarro disponibilizado pela Organização, e que eu mais uma vez coordenei. É as gargalhadas fáceis, a alegria genuína, as palermices, a amizade e o amor. É o enriquecimento nas conversas com as pessoas, na descoberta de algumas delas, no levantar do véu do tanto que é a essência de cada um. É afinal redescobrir que vale a pena deixar de ser o bicho do mato que tantas vezes me apetece ser, e acreditar que as pessoas ainda valem a pena! É redescobrir que Correr é bom. Que Viver é bom! E quando por fim, chego ao fim de Domingo, depois desta "Maratona", respiro, recosto o corpo, fecho os olhos e simplesmente me sinto intensamente mais rica, recompensada e grata pela Vida, porque isto tudo vale muito a pena!
  



Aguns dados da prova:

Maratona: 4537 chegados à meta
Family Race:  2843 chegados à meta

Um total de cerca de 15.000 participantes, contando com os da Mini/Caminhada

A Maratona do Porto, apesar de ter tido este ano um pequeno decréscimo no número de chegados à meta em relação ao ano passado, continua a ser a Maratona de Portugal com mais atletas chegados à meta, afinal um reflexo natural do trabalho desenvolvido pela Runporto e pela excelente Maratona que é.

Para o ano quero ser responsável por aumentar esse número, e usufruir de tudo a que tenho direito quando corto a meta da Maratona!

A Organização está pois de Parabéns! Duvidas? Anda ver para o ano! 

Marca já na tua agenda, a 15ª edição da Maratona do Porto é 4 de Novembro de 2018. Vens?

Mais informações e classificações no site da Organização, aqui

Algumas imagens para ver aqui

Pela Fernanda Silva, Album 1, aqui

E Album 2, aqui

Por Matias Novo, aqui

1 comentário:

j. Costa disse...

Pois !Este ano contribui para o numero ser menor .Parabéns pelo que faz pela corrida e apesar de não correr a mítica participou e incentivou muitos atletas , eu não tive coragem de ir ver ...nem na Tv!!
Espero para o ano estar lá , com a Ana e todos que como nós QUE este ano não puderam participar.