Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Estar sem correr é ...

Estar sem correr é ...

Ser pássaro engaiolado
Ave ferida de pelagem negra como breu
E sozinha ... olhar o azul do céu 
E o alto da montanha
Sem lhes poder tocar

É ser fera apunhalada, urrando baixinho
Debaixo de um sorriso que abafa a dor

É ser animal selvagem baleado 
Arrastando-se devagarinho na floresta, 
Rasto de sangue entre as árvores
Em círculos, 
Até esquecer,
Até anoitecer,
Até endoidecer...
E ensurdecer para calar os seus próprios uivos e gemidos...


Estar sem correr...

É diante do melhor repasto, ter o copo vazio 

É sorrir porque sim
Querer ser forte mas chorar por fim
É ter a alma incompleta 
Corrompida e dilacerada 
Assombrada e perturbada
A ansiar por ti
Vazia.

Estar sem correr é...

É ter tudo para ser feliz
E não o ser.

É ser surpreendido pelo melhor da vida
Sem o poder de verdade viver...

Só... porque não se pode correr.

11 comentários:

António Lopes disse...

Lindo, coerente, verdadeiro...só para quem corre...e não pode!

Fernando Andrade. disse...

Como a compreendo, Ana!!!
Vale ao menos, tê-la despertado para a a poesia. Para a dimensão da poesia. E que bem lhe fica!
Beijinho!

JoaoLima disse...

Como te compreendemos!

Beijinhos e força!

Jorge Branco disse...

Lindíssimo! Sublime, tão verdadeiro.
Deixas-me sem palavras!
Mas triste, muito triste!
Eu quero é a Ana a correr e o mais rapidamente possivel!
Um beijinho do tamanho do mundo.
(E vai para os aplausos lá no UK).

RUN BABY RUN disse...

Seja lá o que te impede que passe rápido!!
Beijinho e rápidas melhoras!

joaquim adelino disse...

Percebo perfeitamente, o poema em si arrasta também a vontade férrea de parar com a adversidade, abrindo caminho para a esperança de em breve poder voltar, e eu cá estarei com os meus actuais salta pocinhas à espera de luz verde para que ambos ainda possamos andar por aí...sei lá, por qualquer lugar, desde que seja a correr! Bjs e rápidas melhoras.

Anónimo disse...

Olá Ana,

Só te posso dizer, calma Ana. Não é facil de resolver a lesão que tens...mesmo com fisioterapia e talvez infiltrações no local. Tenta distrair-te, mexer-te um pouco e tenta não comer determinados alimentos pois existe o perigo de se engordar. Eu, mesmo a "travar-me" (por vezes não o fiz, sou sincero) na alimentação, depois de 5 meses parado tenho mais 5 a 6 kgs. O vinho e a cerveja contribuiram muito para o aumento do meu peso...mas apetece...estamos chateados e bora lá beber mais um copo né? Só me resta desejar-te as melhoras e até...

Bjs Ananás
FS

Anónimo disse...

Mário Machado deixou um novo comentário na sua mensagem "Estar sem correr é ...":

... e eu diria: aqui está alguém que é 100% corredora na linha do artigo que surgiu no nº 226 da Spiridon. Já agora, Ana... que a gaiola se abra e o pássaro posso de novo voar!

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Obrigada a todos pelas palavras. Lesionada, como muitos já sabem, o regresso à Corrida não está para breve. É aguentar entretanto, não deixar de acreditar e de procurar "a cura" e continuar a viver, que a vida como bem sabemos tem tanta e tanta coisa boa, que "só" porque não podemos correr não podemos passar o tempo todo a lamuriar-nos. Ok, o tempo todo não! Mas de vez em quando, caramba, temos também direito a isso...somos humanos! Eu pelo menos sou e faço questão de assim me manter.

Beijinhos para todos e ...Prof. Mário Machado, agora fiquei curiosa sobre o artigo que surgiu no nº 226 da Spiridon... Amigo Jorge...será que me faculta isso, só essa parte da revista?


Horticasa hoticasa disse...

Lindos poemas mas, triste estares assim, beijinhos nossos.
Tens vir cá com a família, fazemos uma peixeirada assada ou de caldeirada... anda lá!!...
beijinho

Carlos Cardoso disse...

Força Ana, que a recuperação seja completa e o mais breve possível. O poema é lindo, embora o motivo que o originou seja triste.
Beijinho